Parte 6 - Existencialismo nas Ruas: O Relatório do Clima da Rebelião da Extinção (XR)

in pt •  7 months ago  (edited)

A Dialética da Libertação: Anarquismo, Existencialismo e Descentralismo
Parte 6 - Existencialismo nas Ruas: O Relatório do Clima da Rebelião da Extinção (XR)

"A criatividade e rebeldia são os progenitores da evolução social" - charlie777pt

1- Introdução - XR - Existencialismo na Rua


"Estamos vivendo em tempos opressivos. Infelizmente, não há outra opção a não ser lutar, mesmo que isso signifique ser ilegal." - Twitter anónimo sobre Free Assange

Para terminar esta parte sobre os existencialistas mais influentes, dedicarei um posto ao movimento de Rebelião por Extinção, reportando sobre o movimentode propagação silenciosa, que funciona sob o guarda-chuva do "ecocídio" como um câncer auto-suicida da decadente democracia representativa.
A repressão e o abuso de pessoas é o resultado de uma democracia que se tornou a ilusão mestre, então a alternativa é uma revolução que toma o poder de uma classe sobre a dominante e desperta a ação das pessoas para uma revolução pacífica, com resistência passiva não violenta, até a máquina ser parada e ter que negociar antes de desmoronar como um castelo de areia.
Os ambientalistas têm a primazia da palavra nas ações erradas do sistema político atual, que querem interromper o sistema até que não tenha outra alternativa, a não ser sentar-se na mesa de negociação, mas desta vez não criar nenhuma comissão - para evitar resolver os problemas que eles não têm nenhuma solução - o público deve supervisionar que as medidas definitivas para parar o incêndio do planeta estão a ser aplicadas.
Precisamos de uma revolução que possa deter as armas de guerra de destruição em massa, os alimentos falsos e mortíferos e o incêndio e poluição do planeta com químicos.

Foto: Lola Perrin, Oxford Circus Sexta-feira, 19 de abril - Dia 5 da Rebelião Internacional

As grandes corporações ganham dinheiro com a desgraça ambiental, psicológica e física das pessoas, escondendo em segredo as "receitas" de sua comida falsa, e sobre a sua poluição, gerando uma morte lenta e imperceptível, que está a ficar muito mais visível agora.
O dinheiro é uma droga poderosamente viciante, que traz a doença do egoísmo e da anti-solidariedade, e como Platão mostrou o desejo de possuir coisas, não pode ser separado do poder, competição, conflito e discórdia opondo o individual ao coletivo, na casa da humanidade.
Há um fracasso total na política centralizada para lidar com as ações necessárias para evitar as mudanças climáticas, e mesmo com os movimentos de ativismo descentralizados na última década.
O Estado não pode mais escapar da nuvem negra da corrupção, nas mudanças políticas e sociais, de modo que a Liberdade é uma função de nossa permanente vigilância da realidade e de nós mesmos.

"Quando o que era verdade, se descobre que é mentira, mata a perseverança e a esperança, criando total incerteza nas pessoas." -charlie777pt

O público em geral sofreu uma lavagem cerebral e deitaram fora a sua responsabilidade de agir como os principais interessados ​​da empresa Terra Lda., porque a vida não é apenas votar e obliterar as nossas obrigações como guardiões da democracia direta, que substituirá o atual sistema representativo.
Quando as pessoas lêem no jornal ou nos noticiários da TV, como em Portugal temos 3200 novos casos por ano de asma em crianças causados ​​pela poluição do ar, as pessoas não sentem nada se não são os seus filhos, porque o amor hoje não é mais o amor pela humanidade, mas não deviam esquecer que os seus filhos podem ser os próximos.

“Eu acho que esta é a primeira vez, certamente desde os protestos de ação direta dos anos 90, que tem havido uma campanha em massa de ação direta não-violenta que ocorre em todo o Reino Unido. Então, é um momento muito emocionante ”- Um novo membro do grupo Edinburgh XR

2- Boletim Meteorológico de Rebelião de Extinção (XR)


A posição do movimento existencialista da Rebelião de Extinção (Extinction Rebellion) contra o ecocídio parece ser um ponto de ancoragem para as pessoas, quando elas percebem que os "poderes" estão a descobrir que esta nave espacial há muito ultrapassou os recursos disponíveis para a sua sobrevivência, já que a estupidez consumista cega as pessoas que fazem por não perceber que estão dispostas a participar de sua própria extinção.
Este movimento segue a tradição de Gandhi do movimento de ação direta não-violento, um exemplo de formas de resistência passiva, que só resultarão quando as pessoas perceberem que existe uma causa com o objetivo comum de deixar um planeta para nossos descendentes.
O vínculo espiritual que pode unir as pessoas que já encontraram o seu Ser, nos destroços da atual sociedade capitalista pós-apocalíptica, estarão a reunir-se em torno do tema mais premente da humanidade, salvar o planeta.
Como Gandhi fez o império do Reino Unido entrar em colapso com uma ruptura social, que entretanto resultou em muitas pessoas mortas e num banho de sangue, mas finalmente o império teve que negociar e cumprir as exigências do povo.

“É impossível exagerar a natureza impressionante do desafio que enfrentamos: determinar, nos próximos anos, se a sociedade humana organizada pode sobreviver em algo como sua forma atual. O aquecimento global já é um fator primordial na destruição de espécies a uma taxa não vista há 65 milhões de anos. Não há tempo para atrasar radicalmente a mudança de curso para evitar grandes catástrofes. Os ativistas da Rebelião pela Extinção estão liderando o caminho para enfrentar este desafio imenso, com coragem e integridade, uma conquista de significado histórico que deve ser ampliada com urgência.”- Noam Chomsky, um dos pensadores mais influentes de nossa época, sobre a Rebelião da Extinção

O sucesso do XR já contan com com 700 detenções nos seus objetivos visados ​​e o Concerto dos Salvadores do Ecocídio, já começou e promete um sucesso glamoroso.
Este movimento está a ser administrado como um Circo descentralizado, numa Turnê mundial para despertar a consciência auto-revolucionária das pessoas, sobre o eminente ecocídio (assassinar o planeta) e genocídio (assassinar a humanidade).

Rebelião de Extinção: uma semana de protesto em três minutos (Em Inglês)

Rebelião de Extinção está á espera que durante a interrupção social, muitas pessoas sejam presas até que o sistema seja obstruído quando atingir sua capacidade total de deter pessoas, ou por outro lado a máquina logística que mantém estoques quebrará, todo o sistema de lucro dos governantes é obrigado a negociar antes que imploda.
Rupert Read o porta-voz da declaração XR que, "Todo mundo sabe que a nossa democracia está quebrada ..." e somente as pessoas podem consertar isso.
O XR reivindica uma disciplina não violenta de ação direta que respeite o público e a polícia, usando um modelo de resistência civil que causa perturbações, dia após dia, até que estruturas centralizadas se sentam, conversam, e aceitam suas exigências imperativas, mas que serão vigiadas pelos cidadãos pela primeira vez. tempo, e evitar o assassinato repentino de nossa mãe Terra.
O que eu gosto na Rebelião da Extinção (XR), é que o movimento sem controle de estruturas centralizadas, que tem um modelo bastante organizado para expansão e escalabilidade no Reino Unido e internacionalmente, pelo pensamento pré-estruturado do que deveria ser e fazer uma multidão sem auto-organização, que não querem lutar para estar nos partidos e no estado - os monges da centralização, autoridade e dominação política dos cidadãos- despojados dos seus direitos soberanos.
Eu odeio políticos fantoches em todo o mundo, que falam com a boca de imposições dos mestres dos EUA (Trump nega o aquecimento global), como o Reino Unido e a Europa, que oblitera a voz interna de qualquer cidadão nesses países, e na tomada de decisão internacional da eco-política, nas mãos do lucro sujo baseado na destruição das pessoas e do planeta.

3- Rebelião de Extinção (XR) por Roger Hallam


Roger Hallam, o principal filósofo prático do movimento XR, diz que o dogma fundamental antes de iniciar um protesto sobre essa questão, temos que entender que nas últimas décadas isso não está a funcionar de forma alguma, então tem que haver uma disseminação maior até o público em geral se envolver com isso, como aconteceu em Praga em 67 e na França em maio de 68.

Roger Hallam diz que o movimento não está interessado em ações diretas para chamar a atenção ou fazer lobby junto ao público, mas para fazê-los envolverem-se e descobrir que esta não é uma agenda centralizada normal que os políticos possam resolver.

"As pessoas estão cansadas de receber ordens para assinar uma petição quando nos deparamos com a extinção." - Ebury-Jones, Tom e Sommerlad, Joe (21 de novembro de 2018)

Para mim, Roger Hallam é uma figura viva existencialista, um académico e filósofo do contra-ecocídio, que tem uma abordagem existencialista, e quer levá-lo às ruas para salvar toda a humanidade para deixar uma herança para as próximas gerações.
O movimento deve usar alguns métodos de intervenção social radical antiga, facilitando a consciência nas pessoas da democracia representativa moribunda, que criou o problema, e não tem meios ou vontade política para resolvê-lo agora, porque os seus patrocinadores monetários não os deixam fazer.
Então, temos que voltar aos nossos direitos e responsabilidades, na velha tradição temos que intervir para manter o que Hallam chama a "sanidade da sociedade".
A proposta real é olhar para ela numa perspectiva diferente do que ele chama de "corpo da sociedade", que cria uma união com laços comunitários, temperada com amor, onde todos buscam a liberdade mútua e o bem-estar de todos os membros da sociedade.
Se realmente ama a sua família, amigos e toda a humanidade, você se envolverá, porque ele diz que "a indiferença é incompatível com o amor".

Este é o principal princípio moral, é uma típica abordagem existencialista da intervenção política à moda antiga, de que o público não é um "inocente espectador", e o amor é o motor que obrigará as pessoas a formarem nós indestrutíveis de solidariedade.
Por isso, justifica-se aborrecer o público com o seu problema, até que ele fique atento e remova os vidros das paredes de cortiça que estão a usar.
Todos os cidadãos sob a democracia têm uma obrigação para com a humanidade e as próximas gerações de manter a sustentabilidade da nossa Nave Espacial Terra, que está esgotando recursos, com o risco de se tornar um planeta morto à deriva no espaço.

4 - Resumo e Conclusões


A ideia principal é estarmos unidos e agir em conjunto neste problema coletivo, que o poder centralizado é incapaz de resolver.
Temos que formar uma opinião pública antes do início de qualquer revolução bem-sucedida.
O pensamento e a prática da filosofia ética da não-violência é uma alternativa à guerra e ao conflito, e quando os poderes não podem ser desafiados com violência ou força, a única forma é a resistência passiva em atos de desobediência civil.
A resistência passiva é caracterizada pela não-cooperação, sem qualquer ação direta violenta e por um comportamento não-violento emocionalmente, na linguagem corporal ou nas ameaças psicológicas.

Qualquer sistema social onde há dominação ela é sempre expresso em violência como resultado da estrutura de poder opressora que restringe os direitos humanos ou persegue as pessoas.
A não-cooperação a lidar com a agressividade ou com regras violentas e ordens, é uma posição difícil que exige muita coragem, controle de adrenalina, paciência e comprometimento.
Hoje em dia o sistema é tão poderoso com a sua polícia-militar para lidar com os cidadãos, como se fossem terroristas, que qualquer chance de sucesso vai mais pelo caminho pacífico, do que através de revoltas armadas ou rebeldes, que no fim sempre reforçarão o poder e o músculo do domínio.
O número de prisões está em 800 pessoas neste momento de publicação

Resumindo:

1 - Um movimento para ser eficaz tem que criar uma ruptura pública.
2 - As ações têm que perturbar o público em geral até que se conscientizem e se rebelem contra o problema comum.
3 - A resistência passiva da ação direta não-violenta vai atrapalhar o sistema, que não tem mais alternativas senão sentar-se e conversar.
4- Governos terão que aceitar as demandas, que serão escrutinadas pelo povo

Junte-se ao movimento como eu fiz.

Referências:
Rebelião de Extinção (XR):
Wikipedia

Rebelião de Extinção (XR) em Portugal

Site: Rebeldes Pela Vida

Facebook

Os ambientalistas "rebeldes" que pararam o discurso de Costa
Ativistas do grupo Extinction Rebellion bloqueiam entrada da bolsa de Londres

Editado e acrescentado:
Extinction Rebellion Brasil

Facebook

Extinction Rebellion Brasil (@BrasilRebellion) | Twitter

Após mais de mil prisões, Extinction Rebellion parte em um novo desafio

Imprensa : (Em inglês)

Esta é a fonte oficial de notícias sobre a Rebelião da Extinção.
Leia comunicados de imprensa, obtenha atualizações, assista a vídeos e baixe imagens.

Email: [email protected]
Móvel:
+44(0)7986671716 | +44(0)7561098449 | +44(0)7944894190 | +44(0)7802865819
Website: www.rebellion.earth
Facebook: https://www.facebook.com/ExtinctionRebellion/
Twitter: https://twitter.com/ExtinctionR
#extinctionrebellion #rebelforlife
Instagram: https://www.instagram.com/extinctionrebellion/
Fotos/videos:
https://drive.google.com/drive/folders/1m1v7Cs8JFkDM1gHp45OF-NwwhLzPZJO8

Videos: ( Em Inglês)

Rupert Read, "Everyone knows our democracy is broken..." - Politics Live - Extinction Rebellion

Roger Hallam - Por que "Rebelião Internacional"? - Extinction Rebellion

Roger Hallam - Why Public Disruption is Necessary - Extinction Rebellion

"Act as if the Truth is Real" - Extinction Rebellion

A Dialética da Libertação: Anarquismo, Existencialismo e Descentralismo.
Artigos publicados:

I - Anarquismo
II - Existencialismo
Próximos posts da Série:
II - Existencialismo(Cont.)
  • Os "Existencialistas" (Cont.)
  • Humanismo e Existencialismo
    • Parte 1 - Psicologia Humanista e Psicoterapias Existenciais
    • Parte 2 - Psicólogos Humanistas - Otto Rank
    • Parte 3 - Psicólogos Humanistas - Carl Rogers
    • Parte 4 - Erich Fromm - O Medo da Liberdade
    • Parte 5 - Wilhelm Reich - O Orgasmo e o Escudo de Personagem
    • Parte 6 - Carl Gustav Jung - Mitos e Arquétipos
    • Parte 7 - Thomas Szasz - A Fábrica da Loucura
  • Existencialismo e Anarquismo
  • O Futuro: Pós-Humanismo, Transumanismo e Inumanismo
III - Descentralismo
  • O que é o Descentralismo?
  • A Filosofia do Descentralismo
  • Blockchain e Descentralização
  • Anarquismo, Existencialismo e Descentralismo
IV - A Dialética da Auto-Libertação
  • A contra-cultura nos anos 60
  • Psicadelismo e movimentos Libertários e Artísticos
  • O Congresso da Dialética da Libertação
  • O Budismo Zen de Alan Watts
  • Psicanálise e existencialismo
  • O movimento antipsiquiátrico
  • Anarquismo, Existencialismo, Descentralismo e Auto-Libertação
V - Conclusões e Epílogo
Referências:
- charlie777pt on Steemit:
A Realidade Social : Violência, Poder e Mudança
Índice do Capítulo 1 - Anarquismo - desta série - Parte 1 desta Série


Livros:
Oizerman, Teodor.O Existencialismo e a Sociedade. Em: Oizerman, Teodor; Sève, Lucien; Gedoe, Andreas, Problemas Filosóficos.2a edição, Lisboa, Prelo, 1974.
Sarah Bakewell, At the Existentialist Café: Freedom, Being, and Apricot Cocktails with with Jean-Paul Sartre, Simone de Beauvoir, Albert Camus, Martin Heidegger, Maurice Merleau-Ponty, and Others
Levy, Bernard-Henry , O Século de Sartre,Quetzal Editores (2000)
Jacob Golomb, In Search of Authenticity - Existentialism From Kierkegaard to Camus (1995)
Herbert Marcuse, One-Dimensional Man: Studies in the Ideology of Advanced Industrial Society
Louis Sass, Madness and Modernism, Insanity in the light of modern art, literature, and thought (revised edition)
Hubert L. Dreyfus and Mark A. Wrathall, A Companion to Phenomenology and Existentialism (2006)
Charles Eisenstein, Ascent of Humanity
Walter Kaufmann, Existentialism from Dostoevsky to Sartre (1956)
Herbert Read, Existentialism, Marxism and Anarchism (1949 )
Martin Heidegger, Letter on "Humanism" (1947)
Friedrich Nietzsche, The Will to Power (1968)
Jean-Paul Sartre, Existentialism And Human Emotions
Jean-Paul Sartre, O Existencialismo é um Humanismo
Maurice Merleau-Ponty, Sense and Non-Sense
Michel Foucault, Power Knowledge Selected Interviews and Other Writings 1972-1977
Erich Fromm, Escape From Freedom. New York: Henry Holt, (1941)
Erich Fromm, Man for Himself. 1986
Gabriel Marcel, Being and Having: an existentialist diary
Maurice Merleau-Ponty, The Visible and The Invisible
Paul Ricoeur, Hermeneutics and the Human Sciences. Essays on Language, Action and Interpretation
Brigite Cardoso e cunha, Psicanálise e estruturalismo (1979)
Paul Watzlawick, How Real is Reality?
G. Deleuze and F. Guattari,
Anti-Oedipus: Capitalism and Schizophrenia
Robert C. Solomon, Existentialism
H.J.Blackham, Six existentialist thinkers
Étienne de La Boétie, Discourse on Voluntary Servitude, or the Against-One (1576)

Originally posted on Filosofia da Libertação - Philosophy of Liberation. Steem blog powered by ENGRAVE.

Authors get paid when people like you upvote their post.
If you enjoyed what you read here, create your account today and start earning FREE STEEM!
Sort Order:  

This post had received 5.00% upvote from @steemitportugal account!
Vote for @steemitportugal to Witness. Your vote is very important to us!
Visit our WebSite www.steemitportugal.com (tutorials,news...)
Thank you very much.
Click here to vote
steemitportugal
Delegation for daily voting: 10SP-25SP-50SP-100SP-250SP-500SP-1000SP