O que é o Anarquismo? - Parte 2 - O Conceito de Anarquismo

in psychology •  last year  (edited)

A Dialética da Libertação: Anarquismo, Existencialismo e Descentralismo.
O que é o Anarquismo? - Parte 2 - O Conceito de Anarquismo


"O anarquismo é a única saída e o fim de todas as outras filosofias políticas como erros provados" - charlie777pt

Introdução


O anarquismo como uma filosofia política que repudia e tem o objetivo de eliminar todos os tipos de coerção, acredita que o melhor sistema de governo que podemos obter é a sua extinção, e que a autoridade deve ser consensual ou inexistente.
Atualmente, a autonomia local, comunitária e individual exige uma ação política e uma descentralização de poder para nos livrarmos da teia de sucção da usurpação do poder político e financeiro, onde as decisões são tomadas com interesses próprios e descem do governo para o povo quando deveria ser o contrário.

Posteriormente nesta série, também analisaremos alguns movimentos que se assemelham à prática anárquica como os movimentos da Geração Beat, os Hippies, a anarquia do Punk, o industrialismo,atuando contra a ordem social tradicional e as formas de arte predominantes, para a afirmação de cada indivíduo contra a normalização e o conformismo.
Para já , vou deixar aqui uma espécie de léxico da filosofia, com conceitos simples de vários ramos da filosofia relacionados aos aspectos políticos da anarquia, que vamos mencionar em todas as séries.

1 - Os Ramos da Filosofia

Estética
Materialismo Dialético
Epistemologia
Materialismo
- Artes e crítica artística - Marxismo e suas práticas - Ciência do Conhecimento - O Mundo da Matéria e das Coisas
Desconstrução
Humanismo
Existencialismo
Metafísica
- Sistemas e Metafísica do Conhecimento - Capacidades das pessoas para o Crescimento - Praxeologia Individual e Humana - O Objetivo da Existência
Ética
Idealismo
Lógica
Niilismo
-Comportamento e princípios morais -Ideais e Ideias vs Percepção do Mundo - Sistemas de inferência com validação - A negação de valores
Fenomenologia
Pragmatismo
Racionalismo
Ontologia
- Husserl e raízes do existencialismo -A Verdade das proposições com experimentalismo - A Razão como verdade no Mundo - O Ser e a Existência

2 - As Filosofias Políticas


Antes de entramos diretamente na definição dos conceitos, teorias e práticas do anarquismo, vamos aqui primeiro analisar e enquadrar o posicionamento da filosofia política da anarquia em relação ás outras teorias e práticas políticas da atualidade.
“O que é um anarquista? Aquele que, escolhendo, aceita a responsabilidade da escolha. ”- Ursula K. Le Guin
Como o grafico é muito explícito, irei apenas acrescentar que existem as variavéis do Horizontalismo total (Pirâmide da Autoridade) que vai desde a anarquia individualista até um máximo de verticalismonos regimes fascistas ou socialistas coletivistas, com uma grande componente de Estado e de concentração e controlo dos meios de produção e de decisão.



A atual evolução social da expansão da comunicação e dos sistemas de informação, aumentam a difusão e partilha do conhecimento e que cada vez mais nos aproxima do eixo superior do anarquismo.
A anarquia é a filosofia política mais viavél, pela enfase no indivídalismo e na partilha, e contra a interferência estataldo capitalismo pseudo-liberal ou dos coletivismos marxistas.
A Anarquia, como o Individualismo e o Humanismo, são contra os "otimistas" da democracia e rompem com a ilusão de uma sociedade melhor e regenerada pelo "progresso" dos fascismos, socialismos e da pseudo-democracia com falsos liberalismos baseados em centralização verticalizada.

Não há Reinado na Anarquia, porque não temos que viver sob qualquer dominação uniforme, como os governos impondo pelas Leis, e não podemos criar regras que proíbam a diferença nos seres humanos.
“O importante é espalhar confusão, não eliminá-la.” - Salvador Dalí
O caos, os assassinatos, a destruição, a agitação social, a desigualdade e as guerras, são os atributos do capitalismo hegemónico atual, e não da Anarquia que é a única solução para o substituir.

E, no final os Media ao caos que os poderes imperialistas geram, chama Anarquia, como dizem ser o estado político atual daSomália que é exemplo de um país governado por máfias, gerado pelos vácuos de poder que a interferência do nosso mundo "civilizado" provoca. A descentralização do poder é a melhor forma de equilíbrio instável na ordem social.

3 - Anarquismo Individualista e Coletivista


A filosofia do Anarquismo concorda que o Estado não tem legitimidade moral, que para fazer o indivíduo obedecer não tem o direito de coagir, porque os direitos são um atributo individual e não uma propriedade do estatismo, e varia da total autoconfiança individualista até ao completo coletivismo que afirma a importância da dependência mútua de comunidades ou federações.
Quase todas as filosofias dos anarquistas são contra o uso da violência e da revolução disruptiva para substituir o Estado, e vê a mudança como um processo gradual, onde o indivíduo aprende a encontrar maneiras de substituir as leis opressivas e as construções sociais e morais da sociedade.

A Anarquia e o Liberalismo têm pontos em comum no ideal de elevar a vontade,os direitos naturais, e a libertação dos indivíduos, reduzindo a concentração de poder, autoridade e papel do Estado.
Hoje não há separação de poderes entre política, economia ou governo, porque eles estão todos a viver na mesma Casa de Cartas, sem portas ou janelas para a voz dos cidadãos para escrutinar as suas ações.

Os Individualistas acreditam na propriedade privada, numa economia de mercado, bem como na prevalência das necessidades individuais e do interesse próprio sobre as restrições da autoridade coletiva e nas decisões que são sentidas como opressão e controle, como no caso do Anarco-Capitalismo.
Os Coletivistas acreditam no primado das necessidades globais da Sociedade em detrimento dos interesses egoístas individuais, enfatizando o problema das conseqüências do comportamento ou das decisões de uma pessoa sobre os outros, acusando o individualista de não compartilhar e ser egoísta porque se recusam a participar das crenças comuns.

Eu acho que coletivistas e individualistas têm percepções erradas mútuase que um diálogo aberto revelaria bases comuns para ação e luta.
Poderíamos usar os pontos positivos do coletivismo que o planeta Terra deveria ser coletivizado em uma espécie de federações comunais para discutir o destino de nossos recursos limitados de "nave espacial" e do ambiente queimado.

4 - Anarquia é "Policracia"


"Anarquia é Um e Todos, trabalhando para Um" - charlie777pt
Coordenação com participação igualitária, cooperação sem coerção, organizações horizontais, individualismo em vez de hegemonismo, sem superiores e sem subordinado, com gestão e coordenação sem governantes alienando a decisão coletiva.

O Anarquismo como prática da Anarquia é um modo de organização social, onde a cooperação e a coordenação não têm regras de burocracia, dos governantes e do Estado que governa a esferas económica, política e administrativa, sem a participação coletiva.
Historicamente, a emergência do movimento do Anarquismo, teve seu apogeu em duas marcantes revoluções do século passado, uma na dissidência soviética anarquista, contra os stalinistas e leninistas e outra na guerra civil espanhola com as comunas livres de anarquistas, que acabam sendo traídos e massacrados pela facção marxista pró-Russia, abrindo uma fratura que fez a vitória certa.

A Anarquia é um ideal inatingível, mas o único caminho para substituir o cadáver moribundo de um dinossauro que levará talvez milénios para alcançar sua agonia final.

"As idéias são à prova de balas." - Alan Moore, V de Vingança
Mas devemos começar agora enquanto podemos apagar o fogo do nosso planeta Terra sendo queimado pela religião da acumulação de dinheiro e do consumo incontrolável.
"Eu morro, como tenho vivido, um espírito livre, um anarquista, não devendo lealdade aos governantes, celestial ou terrestre." - Voltairine de Cleyre

A Dialética da Libertação: Anarquismo, Existencialismo e Descentralismo.
Artigos publicados:

Introdução à Dialética da Libertação: Anarquismo, Existencialismo e Descentralismo

I - Anarquismo

O que é o Anarquismo?

Próximos posts da Série:
I - Anarquismo

  • O que é o Anarquismo?
    • Parte 3 - Os Tipos de Anarquismo
  • A História do Anarquismo
    • Parte 1 - Pré-Anarquia - Revolução Social
      • 1 - Insurreição
      • 2 - Ação Intelectual
      • 3 - Ação Política
    • Parte 2 - Anarquia: Revolução Contra o Estado
      • 1 - Federalismo Anarco
      • 2 - Anarquismo Libertário
      • 3 - Anarco-sindicalismo
  • A Anarquia Hoje

II - Existencialismo

  • O que é o existencialismo?
  • Os "Existencialismos"
  • Humanismo e Existencialismo
  • Existencialismo e Anarquismo

III - Descentralismo

  • O que é o Descentralismo?
  • A Filosofia do Descentralismo
  • Blockchain e Descentralização
  • Anarquismo, Existencialismo e Descentralismo

IV - Dialética da Auto-Libertação

  • O Congresso da Dialética da Libertação
  • Psicanálise e existencialismo
  • O movimento antipsiquiátrico

Leituras:

Anarquismo - Wkipedia
Correntes do anarquismo

Referências:

Rothbard, Murray N., The Ethics of Liberty (1982)
Rothbard, Murray N., For a New Liberty The Libertarian Manifesto, Revised Edition
Bey, Hakim (1991) 7:A.Z.: the Temporary Autonomous Zone, Ontological Anarchy, Poetic Terrorism, Brooklyn, NY: Autonomedia.
Marshall, Peter, Demanding the Impossible A History of Anarchism, Fontana Press (1992)
Oizerman, Teodor.O Existencialismo e a Sociedade.Em: Oizerman, Teodor; Sève, Lucien; Gedoe, Andreas, Problemas Filosóficos.2a edição, Lisboa, Prelo, 1974.
Tucker, Benjamin, Individual Liberty, Selections From the Writings

Authors get paid when people like you upvote their post.
If you enjoyed what you read here, create your account today and start earning FREE STEEM!
Sort Order:  

Uma verdadeira aula sobre anarquismo (e suas diferentes faces e níveis)... Muito bom MESMO!

Ótimo post, @charlie777pt.

Obrigado.
Tem sido difícil manter os posts pequenos num assunto tão vasto. :(

otimo post @charlie777pt.
it is amazing