O que é o Anarquismo? - Parte 2 - O Conceito de Anarquismo

in #psychology3 years ago (edited)

A Dialética da Libertação: Anarquismo, Existencialismo e Descentralismo.
O que é o Anarquismo? - Parte 2 - O Conceito de Anarquismo


"O anarquismo é a única saída e o fim de todas as outras filosofias políticas como erros provados" - charlie777pt

Introdução


O anarquismo como uma filosofia política que repudia e tem o objetivo de eliminar todos os tipos de coerção, acredita que o melhor sistema de governo que podemos obter é a sua extinção, e que a autoridade deve ser consensual ou inexistente.
Atualmente, a autonomia local, comunitária e individual exige uma ação política e uma descentralização de poder para nos livrarmos da teia de sucção da usurpação do poder político e financeiro, onde as decisões são tomadas com interesses próprios e descem do governo para o povo quando deveria ser o contrário.

Posteriormente nesta série, também analisaremos alguns movimentos que se assemelham à prática anárquica como os movimentos da Geração Beat, os Hippies, a anarquia do Punk, o industrialismo,atuando contra a ordem social tradicional e as formas de arte predominantes, para a afirmação de cada indivíduo contra a normalização e o conformismo.
Para já , vou deixar aqui uma espécie de léxico da filosofia, com conceitos simples de vários ramos da filosofia relacionados aos aspectos políticos da anarquia, que vamos mencionar em todas as séries.

1 - Os Ramos da Filosofia

Estética
Materialismo Dialético
Epistemologia
Materialismo
- Artes e crítica artística - Marxismo e suas práticas - Ciência do Conhecimento - O Mundo da Matéria e das Coisas
Desconstrução
Humanismo
Existencialismo
Metafísica
- Sistemas e Metafísica do Conhecimento - Capacidades das pessoas para o Crescimento - Praxeologia Individual e Humana - O Objetivo da Existência
Ética
Idealismo
Lógica
Niilismo
-Comportamento e princípios morais -Ideais e Ideias vs Percepção do Mundo - Sistemas de inferência com validação - A negação de valores
Fenomenologia
Pragmatismo
Racionalismo
Ontologia
- Husserl e raízes do existencialismo -A Verdade das proposições com experimentalismo - A Razão como verdade no Mundo - O Ser e a Existência

2 - As Filosofias Políticas


Antes de entramos diretamente na definição dos conceitos, teorias e práticas do anarquismo, vamos aqui primeiro analisar e enquadrar o posicionamento da filosofia política da anarquia em relação ás outras teorias e práticas políticas da atualidade.
“O que é um anarquista? Aquele que, escolhendo, aceita a responsabilidade da escolha. ”- Ursula K. Le Guin
Como o grafico é muito explícito, irei apenas acrescentar que existem as variavéis do Horizontalismo total (Pirâmide da Autoridade) que vai desde a anarquia individualista até um máximo de verticalismonos regimes fascistas ou socialistas coletivistas, com uma grande componente de Estado e de concentração e controlo dos meios de produção e de decisão.



A atual evolução social da expansão da comunicação e dos sistemas de informação, aumentam a difusão e partilha do conhecimento e que cada vez mais nos aproxima do eixo superior do anarquismo.
A anarquia é a filosofia política mais viavél, pela enfase no indivídalismo e na partilha, e contra a interferência estataldo capitalismo pseudo-liberal ou dos coletivismos marxistas.
A Anarquia, como o Individualismo e o Humanismo, são contra os "otimistas" da democracia e rompem com a ilusão de uma sociedade melhor e regenerada pelo "progresso" dos fascismos, socialismos e da pseudo-democracia com falsos liberalismos baseados em centralização verticalizada.

Não há Reinado na Anarquia, porque não temos que viver sob qualquer dominação uniforme, como os governos impondo pelas Leis, e não podemos criar regras que proíbam a diferença nos seres humanos.
“O importante é espalhar confusão, não eliminá-la.” - Salvador Dalí
O caos, os assassinatos, a destruição, a agitação social, a desigualdade e as guerras, são os atributos do capitalismo hegemónico atual, e não da Anarquia que é a única solução para o substituir.

E, no final os Media ao caos que os poderes imperialistas geram, chama Anarquia, como dizem ser o estado político atual daSomália que é exemplo de um país governado por máfias, gerado pelos vácuos de poder que a interferência do nosso mundo "civilizado" provoca. A descentralização do poder é a melhor forma de equilíbrio instável na ordem social.

3 - Anarquismo Individualista e Coletivista


A filosofia do Anarquismo concorda que o Estado não tem legitimidade moral, que para fazer o indivíduo obedecer não tem o direito de coagir, porque os direitos são um atributo individual e não uma propriedade do estatismo, e varia da total autoconfiança individualista até ao completo coletivismo que afirma a importância da dependência mútua de comunidades ou federações.
Quase todas as filosofias dos anarquistas são contra o uso da violência e da revolução disruptiva para substituir o Estado, e vê a mudança como um processo gradual, onde o indivíduo aprende a encontrar maneiras de substituir as leis opressivas e as construções sociais e morais da sociedade.

A Anarquia e o Liberalismo têm pontos em comum no ideal de elevar a vontade,os direitos naturais, e a libertação dos indivíduos, reduzindo a concentração de poder, autoridade e papel do Estado.
Hoje não há separação de poderes entre política, economia ou governo, porque eles estão todos a viver na mesma Casa de Cartas, sem portas ou janelas para a voz dos cidadãos para escrutinar as suas ações.

Os Individualistas acreditam na propriedade privada, numa economia de mercado, bem como na prevalência das necessidades individuais e do interesse próprio sobre as restrições da autoridade coletiva e nas decisões que são sentidas como opressão e controle, como no caso do Anarco-Capitalismo.
Os Coletivistas acreditam no primado das necessidades globais da Sociedade em detrimento dos interesses egoístas individuais, enfatizando o problema das conseqüências do comportamento ou das decisões de uma pessoa sobre os outros, acusando o individualista de não compartilhar e ser egoísta porque se recusam a participar das crenças comuns.

Eu acho que coletivistas e individualistas têm percepções erradas mútuase que um diálogo aberto revelaria bases comuns para ação e luta.
Poderíamos usar os pontos positivos do coletivismo que o planeta Terra deveria ser coletivizado em uma espécie de federações comunais para discutir o destino de nossos recursos limitados de "nave espacial" e do ambiente queimado.

4 - Anarquia é "Policracia"


"Anarquia é Um e Todos, trabalhando para Um" - charlie777pt
Coordenação com participação igualitária, cooperação sem coerção, organizações horizontais, individualismo em vez de hegemonismo, sem superiores e sem subordinado, com gestão e coordenação sem governantes alienando a decisão coletiva.

O Anarquismo como prática da Anarquia é um modo de organização social, onde a cooperação e a coordenação não têm regras de burocracia, dos governantes e do Estado que governa a esferas económica, política e administrativa, sem a participação coletiva.
Historicamente, a emergência do movimento do Anarquismo, teve seu apogeu em duas marcantes revoluções do século passado, uma na dissidência soviética anarquista, contra os stalinistas e leninistas e outra na guerra civil espanhola com as comunas livres de anarquistas, que acabam sendo traídos e massacrados pela facção marxista pró-Russia, abrindo uma fratura que fez a vitória certa.

A Anarquia é um ideal inatingível, mas o único caminho para substituir o cadáver moribundo de um dinossauro que levará talvez milénios para alcançar sua agonia final.

"As idéias são à prova de balas." - Alan Moore, V de Vingança
Mas devemos começar agora enquanto podemos apagar o fogo do nosso planeta Terra sendo queimado pela religião da acumulação de dinheiro e do consumo incontrolável.
"Eu morro, como tenho vivido, um espírito livre, um anarquista, não devendo lealdade aos governantes, celestial ou terrestre." - Voltairine de Cleyre

A Dialética da Libertação: Anarquismo, Existencialismo e Descentralismo.
Artigos publicados:

Introdução à Dialética da Libertação: Anarquismo, Existencialismo e Descentralismo

I - Anarquismo

O que é o Anarquismo?

Próximos posts da Série:
I - Anarquismo

  • O que é o Anarquismo?
    • Parte 3 - Os Tipos de Anarquismo
  • A História do Anarquismo
    • Parte 1 - Pré-Anarquia - Revolução Social
      • 1 - Insurreição
      • 2 - Ação Intelectual
      • 3 - Ação Política
    • Parte 2 - Anarquia: Revolução Contra o Estado
      • 1 - Federalismo Anarco
      • 2 - Anarquismo Libertário
      • 3 - Anarco-sindicalismo
  • A Anarquia Hoje

II - Existencialismo

  • O que é o existencialismo?
  • Os "Existencialismos"
  • Humanismo e Existencialismo
  • Existencialismo e Anarquismo

III - Descentralismo

  • O que é o Descentralismo?
  • A Filosofia do Descentralismo
  • Blockchain e Descentralização
  • Anarquismo, Existencialismo e Descentralismo

IV - Dialética da Auto-Libertação

  • O Congresso da Dialética da Libertação
  • Psicanálise e existencialismo
  • O movimento antipsiquiátrico

Leituras:

Anarquismo - Wkipedia
Correntes do anarquismo

Referências:

Rothbard, Murray N., The Ethics of Liberty (1982)
Rothbard, Murray N., For a New Liberty The Libertarian Manifesto, Revised Edition
Bey, Hakim (1991) 7:A.Z.: the Temporary Autonomous Zone, Ontological Anarchy, Poetic Terrorism, Brooklyn, NY: Autonomedia.
Marshall, Peter, Demanding the Impossible A History of Anarchism, Fontana Press (1992)
Oizerman, Teodor.O Existencialismo e a Sociedade.Em: Oizerman, Teodor; Sève, Lucien; Gedoe, Andreas, Problemas Filosóficos.2a edição, Lisboa, Prelo, 1974.
Tucker, Benjamin, Individual Liberty, Selections From the Writings

Sort:  

Uma verdadeira aula sobre anarquismo (e suas diferentes faces e níveis)... Muito bom MESMO!

Ótimo post, @charlie777pt.

Obrigado.
Tem sido difícil manter os posts pequenos num assunto tão vasto. :(

otimo post @charlie777pt.
it is amazing

Coin Marketplace

STEEM 1.17
TRX 0.14
JST 0.147
BTC 62984.21
ETH 2432.61
BNB 544.27
SBD 8.78