O que é o Anarquismo? - Parte 3 - Os Tipos de Anarquismo

in anarchy •  last year  (edited)

A Dialética da Libertação: Anarquismo, Existencialismo e Descentralismo.
O que é o Anarquismo? - Parte 3 - Os Tipos de Anarquismo

"A ideologia controla o nosso cérebro e a política possui a nossa vontade". - charlie777pt

Introdução

Parece que há uma crescente reanimação das teorias e práticas do anarquismo, e esta renovação de interesse, parece-me que está a ser ressuscitada no primeiro reinado anárquico do Mundo, a Internet.

Além de suas aparentes contradições, o anarquismo apresenta um grande corpo teórico e congruência de idéias e dicas para práticas individualistas e coletivistas que precisamos de congregar hoje.

As disputas doutrinárias de todas as facções do anarquismo podem ser resolvidas encontrando os pontos comuns e dissolvendo as diferenças com o diálogo.

Todos naturalmente nascem anarquistas, mas a sociedade molda as nossas visões do mundo com a educação, e devemos olhar para dentro de nós mesmos, para descobrir que nos esquecemos de como éramos antes.

“Quem quer que ser livre deve-se libertar. Liberdade não é um presente de fadas para cair no colo de um homem. O que é liberdade? Ter a vontade de ser responsável por si mesmo.”- Max Stirner

O terrorismo anarquista do final do século XIX surgiu na Revolução Russa, com um heroísmo romantizado para as massas, com banhos de sangue e bombas, como uma forma de derrubar o regime da realeza, e para chamar a atenção das massas radicalmente insatisfeitas, e provocar agitação social.

O terrorista Emile Henry escreveu em uma carta antes de ser executado: “Cuidado com a crença de que a anarquia é um dogma, uma doutrina acima da questão ou debate, a ser venerada por seus adeptos”

1 - Anarquismo Filosófico

William Godwin (1756 - 1836) é considerado o fundador do Anarquismo Filosófico, um utilitarista, talvez seja o primeiro teórico do anarquismo, defendendo um individualismo extremo e a eliminação da cooperação no trabalho.

Acima de tudo, não devemos esquecer que o governo é um mal, uma usurpação do julgamento pessoal e da consciência individual da humanidade. - William Godwin

O anarquismo filosófico declina a legitimidade moral do Estado, para impor leis e barreiras sociais, e queria reduzir ou eliminar a influência do estatismo.

2 - Anarquismo Individualista

Max Stirner (1806 - 1856), seguindo William Godwin, propôs uma forma egoísta suprema de anarquismo individualista, centrada na total da liberdade individual de querer fazer o que quer, sem respeito por deuses transcendentes, domínio do Estado e de regras morais.

"Todas as coisas são nada para mim" - Max Stirner, The Ego and Its Own

O anarquismo individualista opõe-se ao anarquismo social, defendendo o direito de propriedade privada em uma economia de mercado aberta.

O Anarquismo Individualista abriu muitos novos ramos como a facção dos EUA de Josiah Warren Thoreau (1798 - 1874) e Benjamin Tucker (1854 - 1939),

"Assassinato é um ato ofensivo. O termo não pode ser aplicado legitimamente a nenhum ato defensivo." - Benjamin Tucker

Eles tinham um princípio pacífico de não-agressão, a primazia da vontade individual e defendiam a propriedade privada numa economia de mercado, sendo os bens valorizados no preço de custo da produção parecendo anarco - capitalismo no aspecto de ser capitalismo pró-livre, mas eles viam-se como socialistas e anti-capitalistas.

2.1 - Mutualismo

Anarquismo social ou Mutualismo foi proposto por Pierre-Joseph Proudhon (1809-1865) e este movimento foi fortalecido por seu seguidor Mikhail Bakunin (1814-1876) sob o rótulo coletivista e nomeou-se comunistas e depois comunistas libertários com Peter Kropotkin (1842-1921). um otimista utópico.

"O mutualismo tem individualismo ilimitado como a condição prévia essencial e necessária de sua própria existência, e coordena indivíduos sem qualquer sacrifício de individualidade, em um todo coletivo, por confederação espontânea ou solidariedade". - William B. Greene - Comunismo versus Mutualismo

2.2 - Anarco-capitalismo

Anarco-capitalismo ou anarquismo de livre mercado é uma facção extremada do anarquismo individualista que tenta casar o anarquismo com o capitalismo, e pode ser considerado parte do movimento libertário que quer que o estado fique fora dos negócios das leis, polícia, defesa e tributação comercial compulsória. para um mercado livre auto-regulado e total liberdade pessoal.

Apesar de o anarco-capitalismo ser atribuído a Gustave de Molinari (1819 - 1912), sendo Murray Rothbard (1926 - 1995) um dos seus grandes promotores nos EUA.

"A anarquia não é garantia de que algumas pessoas não matem, firam, sequestrem, defraudem ou roubem outras pessoas. O governo é uma garantia de que alguns o farão". - Gustave de Molinari

A dinâmica da liberdade é a possibilidade de desenvolvimento constante do nosso pensamento e formas de ação para abrir novos horizontes para a auto-regulação sem as restrições das regras e regulamentos morais. .

2.3 - Agorismo

O Agorismo é sobre o individualismo extremo e uma amplificação total do anarco-capitalismo e nasceu com a concepção de Samuel Edward Konkin III (1947 - 2003). Ele baseia-se no pensamento de Murray Rothbard de trocas mútuas voluntárias em um livre mercado global para tornar o Estado obsoleto.

"As grandes indústrias cartelizadas podem comprar políticos e obter vantagens diretamente do Estado" - Samuel Edward Konkin

O Agorismo não acredita em votar pois é agir de forma contrária à ética libertária, e Konkin recusou aderir ao Partido Libertário dos EUA, porque infecta o libertarianismo com o estatismo.

“Um libertário é alguém que acredita no princípio da não-agressão. Um anarquista é alguém que entende isso. Um agorista é alguém que pratica isso.”- Mike Zentz

3 - Anarquismo Social

Anarquismo Social é sempre visto como o oposto do anarquismo individualista de Stirner, enfatizando a ausência de autoridade em cada julgamento individual, mantendo a visão anti-dogmática dos libertários.

O Anarquismo Social parece ser a melhor maneira de reunir ativistas do pacifismo e os movimentos ambientais que têm um estado Anarquista latente esperando para despertar e se reunir.

"Estamos aqui na terra. Nenhum de nós tem direito à terra." - Benjamin Tucker

A facção anarquista individualista da liberdade total e a facção coletivista da organização do anarquismo social talvez concordem que têm o mesmo desejo espiritual de liberdade pessoal.

3.1 - Anarco-comunismo

O anarco-comunismo ou anarquismo comunista manifou-se primeramente na Revolução Francesa e mais tarde foi popularizado por Peter Kropotkin (1842 - 1921) e Emma Goldman (1869 - 1940), mas proposto por Joseph Déjacque (1821 - 1864) um antigo poeta anarco-comunista e escritor.

Eles propunham uma cooperação federativa de comunas autogovernadas e consensuais, organizadas numa democracia direta como um modelo alternativo para a democracia, baseado no igualitarismo de nascimento sem hierarquias e classes.

Economicamente, uma produção coletivista colaborativa, seria baseada no valor de uso de bens em vez do seu valor de troca, que seria pago em livre acesso a recursos comunitários e excesso de oferta.

3.2 - Anarco-sindicalismo

O anarco-sindicalismo surgiu no século XX com Rudolf Rocker (1873 - 1958), e baseou-se nos movimentos operários e sindicatos fortes como uma mudança revolucionária na sociedade, substituindo o Estado e o sistema capitalista pela democracia operária.
Para mim, isto será apenas substituir mesmas restrições de uma estrutura organizacional hegemónica, pelo poder piramidal de outra, porque a concentração de poder é sempre um bloqueio na evolução social.

3.2 - Anarco-coletivismo

O Anarco-Coletivismo é uma teoria coletivista que foi formulado pelo anarquista Mikhail Bakunin (1814-1876) sob o conceito da eliminação do Estado e a coletivização dos meios de produção organizados pelos produtores, e as pessoas eram pagas pelo tempo dedicado a fazer as mercadorias

O Anarco-Coletivismo queria principalmente inspirar atos de agressão e violência contra o poder, por um grupo de elite que arrastaria as massas à revolta para alcançar os seus objetivos, e eles tinham uma grande oposição à centralização do comunismo e do socialismo.

"A paixão pela destruição também é uma paixão criativa". - Mikhail Bakunin

4 - Outros "Anarquismos"

  • Anarquismo sem Adjetivos - O movimento que deve ser reenergizado porque quer aglutinar e criar diálogo com os vários militantes e facções anarquistas para criar unidade sob os objetivos anti-autoritários comuns e crenças pessoais de liberdade.
  • "Não tenho nenhum prefixo ou adjetivo para o meu anarquismo. O sindicalismo creio que pode funcionar, como pode o anarcocapitalismo de mercado livre, o anarco-comunismo, inclusivo anarco-ermitãos, dependendo da situação." - Fred Woodworth, do livro Vozes anarquistas, de Paul Avrich

  • Anarquismo Verde - É um movimento de anarquistas e ativistas dedicados à proteção do meio ambiente.
  • Eco-Anarquismo - Anarquistas Verdes organizam-se na sociedade em pequenos grupos ecológicos de acordo com o número de Dunbar, com menos de 150 membros.
  • Anarco-Pacifismo - Anarquista contra qualquer forma de uso de violência ou agressão.
  • Anarco-Primitivismo - Anarquistas Verdes que lutam pela abolição da tecnologia como um gerador de desigualdade.
  • Anarquismo Nacional - Um possível casamento fracassado para reconciliar o anarquismo com o nacionalismo.
  • Anarquismo Religioso - Um casamento irreconciliável de religiões como o cristianismo e o budismo, e neopagãos com anarquismo.
    Estou a mencionar o anarquismo religioso, mas no meu ponto de vista pessoal, não podemos colar uma filosofia traiçoeira movendo nosso destino, com uma filosofia terrena para mudar o mundo em que vivemos.
    Espero que a transcendência implemente a anarquia no céu ou em qualquer outro santuário cosmológico e então tenhamos anarquia na Terra.
  • Anarcha-Feminismo - Feminismo Radical une-se ao anarquismo, para combater o paternalismo e as hierarquias.
  • Anarquismo Insurrecionário - Organizado informalmente para a ação revolucionária
  • Anarquismo Epistemológico - Uma teoria de Paul Feyerabend (1924 - 1994), enfatizando que não há regras metodológicas que governem o progresso da ciência e a evolução do conhecimento em seu livro "Contra o método e a ciência em uma sociedade livre".

Existem muitas mais facções do anarquismo, que mencionaremos sempre que for necessário.

No próximo post vamos começar uma análise mais detalhada da história e evolução do Anarquismo para terminar encontrando os benefícios comuns que possam reunir os movimentos anarquistas, sob o objetivo comum da Liberdade em direção à dissolução do estatismo e da autoridade.

A Dialética da Libertação: Anarquismo, Existencialismo e Descentralismo.
Artigos publicados:

Introdução à Dialética da Libertação: Anarquismo, Existencialismo e Descentralismo

I - Anarquismo

O que é o Anarquismo?

Próximos posts da Série:
I - Anarquismo

  • O que é o Anarquismo?
    • Parte 3 - Os Tipos de Anarquismo - Este post
  • A História do Anarquismo
    • Parte 1 - Pré-Anarquia - Revolução Social
      • 1 - Insurreição
      • 2 - Ação Intelectual
      • 3 - Ação Política
    • Parte 2 - Anarquia: Revolução Contra o Estado
      • 1 - Federalismo Anarco
      • 2 - Anarquismo Libertário
      • 3 - Anarco-sindicalismo
  • A Anarquia Hoje

II - Existencialismo

  • O que é o existencialismo?
  • Os "Existencialismos"
  • Humanismo e Existencialismo
  • Existencialismo e Anarquismo

III - Descentralismo

  • O que é o Descentralismo?
  • A Filosofia do Descentralismo
  • Blockchain e Descentralização
  • Anarquismo, Existencialismo e Descentralismo

IV - Dialética da Auto-Libertação

  • O Congresso da Dialética da Libertação
  • Psicanálise e existencialismo
  • O movimento antipsiquiátrico

Leituras:

Anarquismo - Wkipedia
Correntes do anarquismo

Referências:

Bey, Hakim (1991) 7:A.Z.: the Temporary Autonomous Zone, Ontological Anarchy, Poetic Terrorism, Brooklyn, NY: Autonomedia.
Byas, Jason Lee, Toward an Anarchy of Production - Parts I and II
Marshall, Peter, Demanding the Impossible A History of Anarchism, Fontana Press (1992 )
Oizerman, Teodor.O Existencialismo e a Sociedade. Em: Oizerman, Teodor; Sève, Lucien; Gedoe, Andreas, Problemas Filosóficos.2a edição, Lisboa, Prelo, 1974.
Rothbard, Murray N., The Ethics of Liberty (1982)
Rothbard, Murray N., For a New Liberty The Libertarian Manifesto, Revised Edition
Tucker, Benjamin, Individual Liberty, Selections From the Writings
Authors get paid when people like you upvote their post.
If you enjoyed what you read here, create your account today and start earning FREE STEEM!
Sort Order:  

Resteemed.

Thanks.!!!

Tens que escrever um livro, amigo Carlos. Muito obrigada pelo que sistematizas nos teus posts! Grandes ensinamentos!
Um abraço!

Obrigado amiga, o esforço é muito grande para meter o Rossio na Rua da Betesga. :)

Podes crer! Por isso digo que tens que escrever um livro! Eu sou cliente nº 1!

Aquele quarteto que você fez na figura representa bem o que você quis dizer no post inteiro (por sinal, mais um ótimo post para a sua conta, haha).

Já pensou em transformar isso em uma complicação para um possível livro, @charlie777pt?

Muito Agradecido wise friend.
Gostaria apenas de por em Blockchain, mas infelizmente não me lembro do site.
Alguém que conheça agradeço

Existem muitos outros tipos de anarquismos.😁👍

Olá amigo Santana.
Para por todos os anarquismos neste post ficava um livro hehe. E ele já ficou grande demais.
Meter a anarquia numa lata de sardinhas foi difícil.:)
E venham daí polémicas para discussão construtiva.
Abraço

Tens que escrever um livro, amigo Carlos. Muito obrigada pelo que sistematizas nos teus posts! Grandes ensinamentos!
Um abraço!