Anarquia Hoje - Parte 4 - Anarquia no Blockchain-I

in anarchy •  last year  (edited)

Anarquia Hoje - Parte 4 - Anarquia no Blockchain I


"Anarquia é não-obediência." - charlie 777pt

Introdução

Sempre que há um beco sem saída numa era política, porque ela própria não tem nenhuma solução para seu câncer e decadência, gera sempre uma crise de valores que demanda novas idéias para consertar a sociedade e a humanidade.

“A Internet é a primeira coisa que a humanidade construiu que a humanidade não entende, a maior experiência em anarquia que já tivemos.” - Eric Schmidt

A Anarquia está a manifestar-se e a ser revivida com uma miríade de novos "anarquismos", do individualismo extremo ao coletivismo esquerdista, e muitas "misturas" novas tentando integrar religiões, nacionalismo, transcendência e algumas conexões anedóticas, com todos os tipos de problemas gerados por estas filosofias de "integradores", que acabam por dispersar as pessoas dos objetivos reais da anarquia.

A Anarquia está ligada a indivíduos livres e autoconscientes na vida real, onde não há lugar para crenças coletivas que imponham regras e restrições aos "não-crentes".

Nós não podemos ser indivíduos livres, enquanto houver outros á nossa volta que não o são, ou quando há qualquer tipo de poder coletivo ou autoridade ditando a vontade e o destino humanos.

A Anarquia é sempre a voz de novas idéias e modos de vida, como uma resposta para a mudança e crescente complexidade dos organismos sociais, em que os sistemas de comunicação verticais baseados na sociedade (de cima para baixo) não têm soluções porque não conseguem ver o problema que criaram.

As novas formas horizontais de comunicação, provocadas pela comunicação p2p no reino anárquico do ciberespaço na Internet, ajudadas pelo código-fonte que quis ser livre, modificando todas as concepções da vida social centralizada no estado, leis e território.

O Blockchain dá-nos o poder de uma tecnologia única que pode ser usada como uma ferramenta social para capacitar os indivíduos para participarem na construção de uma nova sociedade cripto-económica, com um mercado livre com base na descentralização.

"Um homem não é menos um escravo porque ele pode escolher um novo mestre uma vez num período de anos". - Lysander Spooner

A Anarquia é a última filosofia política que pode mudar as leis da sociedade como a alternativa para o falso capitalismo liberal atual ou estruturas centralizadas coletivistas (estrutura de organização e conexões) e seu funcionamento (reprodução do sistema existente) e trazer novos desenvolvimentos (transformação em novos sistemas inovadores) para mudar a formação socio-económica da sociedade.

1 - Minar a concentração de poder com a Ciber-Anarquia no blockchain

O Cripto-anarquismo é o primeiro exemplo de uma ferramenta tecnológica, para substituir os antigos sistemas centralizados de controle, que podem lidar com a real complexidade social, abrindo portas para uma maior descentralização do poder, permitindo a participação individual como o pilar fundamental da libertação humana e da constante inovação.

Algumas integrações como a cripto-economia e o cripto-anarquismo são muito importantes para o renascimento da filosofia política da Anarquia, mas desta vez apoiadas por uma tecnologia, nascida no ciberespaço anárquico e desregulado, que permite que a sua principal meta de criação seja a descentralização e a auto regulamentação, e a única saída hoje é a privacidade e o anonimato.

"Enquanto a maioria das pessoas assume que a comuna é impossível, o bairro está morto e a existência alienante da sociedade de massa aqui para ficar, os anarquistas sugerem razoavelmente como um objetivo de longo alcance uma" anarquia organizada "- uma sociedade descentralizada de comunidades autônomas federadas que seria mais capaz de lidar simultaneamente com problemas globais e individuais em sua origem.
Recusar-se a considerar perspectivas anarquistas e deixar de questionar nossas próprias suposições básicas pode levar a tragédias que poderiam ser evitadas."
- Dennis R. Fox, psicólogo americano em "Psicologia, Ideologia, Utopia e os Comuns" (1985)

Ao mesmo tempo, precisamos criar uma consciência coletiva global mais focada na valorização humana do que no valor do dinheiro ou das posses materiais, porque não há felicidade para cada um, quando a liberdade e prosperidade não é uma possibilidade para todos.

A Internet e o Blockchain foram projetados para serem anárquicos, sem autoridade centralizada, permitindo sistemas de governança por consenso, que não é uma maneira de derrubar o estado, mas uma forma de mostrar a decadência e a obsolescência dos intermediários hierárquicos sugando valor ás pessoas e ás transações financeiras e de bens..

Os ecossistemas Blockchain, Criptomoedas, Contratos Inteligentes (Smart Contracts) e Aplicações Descentralizadas, permitem que as comunidades virtuais sejam redes de indivíduos autónomos, com total transparência para pessoas de fora e até para os governos.

Por outro lado, no nível individual, o Blockchain é resistente à censura dos estados, fornecendo anonimato com mensagens criptografadas, libertação política e económica e liberdade de expressão e comércio usando criptomoedas nativas.

Timothy C. May, em 1988, já havia teorizado tudo até que Nakamoto liberasse a ferramenta prática para possibilitá-lo.

"A tecnologia da computação está prestes a fornecer a capacidade de indivíduos e grupos se comunicarem e interagirem entre si de maneira totalmente anônima. Duas pessoas podem trocar mensagens, realizar negócios e negociar contratos eletrônicos sem nunca saberem o Nome Verdadeiro ou legal As interações através de redes não poderão ser rastreadas, através de extenso reencaminhamento de pacotes criptografados e caixas à prova de adulteração que implementam protocolos criptográficos com garantia quase perfeita contra qualquer adulteração As reputações serão de importância central, muito mais importantes nas negociações do que até mesmo as classificações de crédito de hoje. Esses desenvolvimentos alterarão completamente a natureza da regulamentação governamental, a capacidade de tributar e controlar as interações econômicas, a capacidade de manter as informações em segredo e até mesmo alterarão a natureza da confiança e da reputação ". - Timothy C. May - O Manifesto Cripto-Anarquista em 1988.

Pessoas de todos os países estão agora a viver num país global fora da concepção territorial e física da soberania nacional, onde as plataformas podem ser coletivistas, mas sob o princípio individualista da liberdade de acesso e participação, unindo o Um a Todos.

"A liberdade, a moralidade e a dignidade do homem consistem precisamente no fato de que ele faz o bem, não porque ele é ordenado, mas porque ele as concebe, as quer e as ama." - Bakunin.

A tecnologia do blockchain materializou as idéias do cripto-anarquismo como um berço tecnológico, que apoia uma revolução social baseada na descentralização e no consenso, onde a ideologia anarquista se encaixa totalmente como a única solução porque o resultado dos outros paradigmas políticos existentes, que evidentemente perdeu a capacidade de resolver os problemas que criou.

Estamos a viver numa sociedade complexa e a ideia que a descentralização e a autogestão das comunidades é a melhor maneira de substituir “O Sistema” usando recursos no blockchain, como votação eletrónica para uma mudança de código ou crowdfunding aberto a todos.

Para a política dos governos , a descentralização nos sistemas hierarquicos atuais é uma espécie de engano ou trapaça, porque não há sistemas descentralizados que tenham autonomia limitada, mas os políticos gostam da palavra e estão a enganar as pessoas com um conceito falso de "descentralização centralizada".

A privacidade e o anonimato são o fundamento básico da liberdade de expressão, informação, educação e comunicação, construindo os pilares da nossa liberdade de escolha.

"Combinada com mercados emergentes de informação, a anarquia criptografada criará um mercado líquido para todo e qualquer material que possa ser colocado em palavras e imagens. E assim como uma invenção aparentemente pequena como o arame farpado tornou possível o cercamento de vastas fazendas e fazendas, Assim, alterando para sempre os conceitos de terra e direitos de propriedade na fronteira ocidental, a descoberta aparentemente menor de um ramo arcano da matemática também será a máquina de cortar arame que desmonta o arame farpado em torno da propriedade intelectual ”. Timothy C. May - O Manifesto Cripto Anarquista em 1988.

O blockchain é uma utopia tecnológica que expande os limites das possibilidades de combinar Pessoas, Objetos e Links (influências), melhorando a escalabilidade da comunicação tradicional, mas ao mesmo tempo é uma evidência viva das limitações de cada ser humano de interagir com pares e objetos infinitos, e é naturalmente limitado pelas capacidades de homens como uma espécie (150 no máximo por comunidade).

A Anarquia para todos não é uma utopia realizável, mas as comunidades anarquistas estão a criar pessoas autodidatas educadas em coletividade, através do mutualismo e consenso, que ajudam a espalhar colónias de utopias sociais não-paternalistas que estão a acontecer ​​no blockchain.

O Steemit é um bom exemplo de uma plataforma blockchain que é descentralizada e de propriedade coletiva e acessível, mas é aberta a interesses centralizados e corporativos de desenvolvedores como Steemit Inc e outros players e desenvolvedores menores, e ao mesmo tempo o seu modelo cripto-económico permite a propriedade e posses desiguais criando algumas lacunas no poder individual de participar.

Como este artigo está a ficar demasiado longo, a segunda parte será publicada no próximo post.

A Dialética da Libertação: Anarquismo, Existencialismo e Descentralismo.
Artigos publicados:

Introdução à Dialética da Libertação: Anarquismo, Existencialismo e Descentralismo

I - Anarquismo

Próximos posts da Série:
I - Anarquismo(cont.)

  • A Anarquia Hoje (cont.)
    • Parte 4 - Anarquia no Blockchain II
    • Parte 5 - Anarquismo de Hoje

II - Existencialismo

  • O que é o Existencialismo?
  • Os "Existencialismos"
  • Humanismo e Existencialismo
  • Existencialismo e Anarquismo

III - Descentralismo

  • O que é o Descentralismo?
  • A Filosofia do Descentralismo
  • Blockchain e Descentralização
  • Anarquismo, Existencialismo e Descentralismo

IV - Dialética da Auto-Libertação

  • O Congresso da Dialética da Libertação
  • Psicanálise e existencialismo
  • O movimento antipsiquiátrico

Referências:

- charlie777pt on Steemit:
A Realidade Social : Violência, Poder e Mudança
Piotr Kropotkin - O surgimento do anarquismo
Colectivismo vs. Individualismo

Livros:
Bey, Hakim (1991) 7:A.Z.: the Temporary Autonomous Zone, Ontological Anarchy, Poetic Terrorism, Brooklyn, NY: Autonomedia.
Byas, Jason Lee, Toward an Anarchy of Production - Parts I and II
Marshall, Peter, Demanding the Impossible A History of Anarchism, Fontana Press (1992 )
Oizerman, Teodor.O Existencialismo e a Sociedade. Em: Oizerman, Teodor; Sève, Lucien; Gedoe, Andreas, Problemas Filosóficos.2a edição, Lisboa, Prelo, 1974.
Rothbard, Murray N., The Ethics of Liberty (1982)
Rothbard, Murray N., For a New Liberty The Libertarian Manifesto, Revised Edition
Tucker, Benjamin, Individual Liberty, Selections From the Writings
Pierre-Joseph Proudhon , What Is Property?
Bakunin, Michael , Bakuninon Anarchy: Selected Works by the Activist-Founder of World Anarchism
Crypto Anarchy, Cyberstates, and Pirate Utopias, edited by Peter Ludlow
Authors get paid when people like you upvote their post.
If you enjoyed what you read here, create your account today and start earning FREE STEEM!
Sort Order:  

Parabéns, seu post foi selecionado para o BraZine! Obrigado pela sua contribuição!
BraZine.png

@charlie777pt, Parabéns! O teu post foi votado e resteem pelo Projeto Camões!

camoes sign 2.gif

PROJETO CAMÕES - Língua Portuguesa no Steemit!

Muito bom @charlie777pt! Estava sentindo falta de aprender com seus textos e referências. É um grande adendo ao valor do proof-of-brain do Steemit. Uma analise fundamentada e não partidária, como as análises deveriam o ser.

Acho difícil algo que não tenha potencial de acumulo de bens, poder dar certo. A ânsia pela entrado do dinheiro institucional fomenta o mundo das criptos como os das acoes, e qualquer outro empreendimento do falso capitalismo liberal como muito bem traz.

No entanto é uma possibilidade de trabalhar essas questões, sem cair nos ismos, nas crenças enraizadas que dificultam a produção de dialogo somado aos extremos das diferenças não vistas por quem mais debate.

Penso que nos cabe fazer o movimento de trazer discussões assim, e ajudar na descentralização, mesmo aqui a eleição se da por voto, não só poder na rede. Mesmo que isso seja extremamente dificultoso devido a quem só quer retirar, e quem não quer compartilhar. Eventualmente conseguiremos começar por aqui a descentralização que se molda a passos rápidos do acesso ao capital através do espaço virtual. Acredito que o acesso é o mais importante, e nas diferenças os ideais fazem a outra parte. Obrigado pelo conhecimento trazido! Espero o próximo.

Muito obrigado pelo grande comentário com proof-of-brain, que é sempre uma grande motivação para continuar a escrever.:)
Pena não haver muitos, desmotiva.:(
Sempre percebi que o dogma político deve ser centrado na evolução da discussão e consenso e não baseado em teorias rígidas pré-fabricadas que eliminam o "outro", objectificando-o.
o Sectar(ismo) é uma doença política e esconde sempre a tomada do poder.
Penso que a descentralização (que quer dizer anarquia para mim) tem de ser aprendida experienciada e vivida, pois é um novo experimento social, e o Steemit é uma boa sala de aula.
Recompensas sem proof of brain apenas desvaloriza o Steemit e a auto-estima de quem compra votos para TER em vez de SER.
Os ideais de hoje cada vez mais confundem o Ter (falso self/Aparências) com o Ser (Self/vivências).
Quem assim vive habita num vácuo existencial da máscara que não permite sentir os outros e a si próprio por consequência.
Com matéria é matemáticamente impossível adquirir espírito.
Vou estar fora 4 dias e só depois acabo a primeira parte do anarquismo esta série no Steemit, para depois ir ao(s) existencialismo(s) e movimentos culturais das últimas décadas, uma das paixões que contribuíu para a minha liberação pessoal.
Leitores do seu calibre vão se precisar(hehe).

Eu gosto muito. Aprendi bastante com seus argumentos. Sempre pensei na descentralização, o sistema de saúde do Brasil só ganhou forma a partir da descentralização, e só não é melhor porque a mesma descentralização torna a se centralizar nas mãos dos políticos municipais. Entendo o Estado como necessário, e a anarquia via como um ideal para organizar a democracia, tornando o Estado mais liberal, e não sem a presença do Estado. O ideal de Estado mantém em muito a ordem.

Ano passado a polícia militar entrou em greve em um estado chamado Espírito Santo no sudeste brasileiro, foi um caos, parecia filme, saqueamento de lojas, tiroteios e assaltos em todos os bairros, somente por não haver um ideal de leis. Ao mesmo tempo as leis punem a parcela mais pobre que é a maior parcela da nossa sociedade aqui.

Mesmo assim, com o advento da blockchain, e com seus textos, apreendi melhor o ideal liberal da anarquia por outras perspectivas, mesmo que continue entendendo a necessidade de um Estado como ideal, a descentralização de poder e renda com um intuito de fortalecer comunidades periféricas é bem interessante. Vou aguardar! Valeu!