Fatores que determinam a Mudança- Parte 1 - Versão Lite

in psychology •  2 years ago 

Realidade Social: Violência, Poder e Mudança
Fatores que determinam a Mudança- Parte 1 - Versão Lite


"A vida é mudança" - charlie777pt

Introdução


Nas nossas vidas, eventos e situações influenciam o nosso equilíbrio e identidade como as mudanças de nossos corpos(evelhecimento), situações, lugares, atitudes, opiniões, comportamentos e hábitos.

1 - Mudança pela Resistência e Resistência à Mudança


A mudança tem as duas faces opostas de uma moeda, uma com a Resistência individual e coletiva contra ela, e no outra a Resistência como o caminho para mudar situações insustentáveis ​​na sociedade.
A mudança é sempre entre o saldo de duas formas de resistência a favor ou contra a mudança.
A nossa participação foi-nos roubada, para beneficiar financeiramente ou politicamente uma pequena classe de donos do capital e políticos que mantêm e governam a riqueza e o poder de decisão nas sociedades pós-modernas.

A mudança social desafia a distribuição e as relações de poder, por participação e envolvimento, para facilitar os processos de mudança para a justiça social, política e económica.
Os fatores envolvidos na mudança podem ser pessoais, situacionais, culturais, sociais, económicos ou tecnológicos.

change-factors-pt.jpg

2- Fatores Pessoais


Os fatores pessoais fazem parte do processo de mudança, como modificar hábitos ou valores no dia-a-dia em aspectos como o sucesso ou o controle da realidade.

2.1 - Sucesso


Strodtbeck e Mann, em 1956, definiram o sucesso como as capacidades individuais para subir a escada da mobilidade social.
A necessidade de sucesso foi estudada por Mclelland em 1961-65 por um teste que podia determinar a auto-motivação para ter sucesso e as influências ambientais.

Eles descobriram que a vontade de ter sucesso está conectada com a socialização e relacionado com o nível confiança dos pais ou a suas necessidades de fortalecimento para o sucesso, que se refletem na génese das tendências infantis para a realização.
Eles também encontraram uma correlação com o status social dos pais e o grau de sucesso e outro fator chamado " extra determinação" conectando a riqueza e classe económica com a mobilidade social e a tendência para ascender socialmente e ter um melhor sentimento de relacionamento com as outras pessoas.
Experimentos posteriores provaram que o foco fechado nas características pessoais não levava em conta fatores situacionais da mudança

2.2 - Controle


O sentimento de controle numa adaptação à mudança é o poder que sentimos de que podemos lidar com eventos na realidade, ou tornar-mo-nos impotentes pela nossa falha em conseguir o que queremos.
O controle e a impotência podem vir do interior (individual) ou do exterior (contextual) e produzem um estado depressivo (pela impotência) não apenas pela falta de controle, mas também quando a mudança não é desejada.

O controle foi associado a um forte sentimento de identidade que diminui a influência de eventos estressantes na consciência, dando um senso de dominação da realidade.
A atribuição de responsabilidades aumenta a sociabilidade e a saúde física, fazendo com que o indivíduo sinta autocontrolo nos eventos reais.

3- Situações


Esse conjunto de fatores relacionados com a situação mostra, por exemplo, como mudar as nossas maneiras de reagir aos eventos á nossa volta.
Por exemplo, as pessoas idosas que são as que podem ser mais afetadas por catástrofes naturais são aquelas que levam menos em conta os conselhos das autoridades oficiais.

O envelhecimento muda a maneira como reagimos a fatores situacionais devido a mobilidade física diminuída, tempos de reação mais lentos e aumento de distúrbios sensoriais e perceptivos, com desorientação.
Ao envelhecer estamos a expostos à morte na família e nos amigos, desemprego, solidão e, por outro lado a sociedade tem estereótipos relacionados com incapacidade e falta de vontade de mudar nas pessoas idosas ou por mero desconhecimento.

4- Cultura


A mudança está relacionada aos vários componentes da cultura que não seguem uma mudança linear ou regular.
Mead, em 1953, descobriu que mudar a oferta de alimentos em algumas sociedades, de locais e naturais para bens importados, não alterava os hábitos regulares, exceto que como a comida inicialmente era partilhada, eles não verificavam o estoque e, quando mudavam de fonte de alimentação , tinham que verificar estoques, porque este novo sistema precisava de vigilância para se saber as quantidades em falta.

Quando uma sociedade muda de um regime fascista para um democrático, não há uma mudança global de mentalidades no nível estrutural e cultural, mas dois tipos de ideologias contraditórias a favor ou contra a mudança preconizada.

6- Tecnologia e Economia


Nas sociedades industriais, o desenvolvimento tecnológico e o crescimento económico são fatores pouco estudados que influenciam a mudança e têm um profundo impacto na vida, na comunicação com os outros e nas implicações contextuais.
Doob em 1975 definiu 7 fatores que acontecem o processo de mudança:
  • Como uma pessoa é controlada pela maneira fixada em suas influências Passado, Presente ou Futuro.
  • O papel do Estado na satisfação das necessidades das pessoas.
  • O senso pessoal de controle sobre a vida e os eventos.
  • Patriotismo
  • Influência do pensamento científico no pensamento racional
  • A natureza das atitudes sociais
  • A recusa de valores e crenças antigas
Isso dificulta qualquer análise clara pela sua complexidade e impossibilidade de compartimentação.

6 - Sociedade


Vimos que existem fatores internos e externos que influenciam a mudança.
Os fatores endógenos têm a ver com o modo como a sociedade valoriza, legitima ou desaprova as condutas sociais.
Os valores influenciam a mudança de duas maneiras, com estabilização e absorção na ordem social, ou a com a recusa que pode pará-lo ou atrasá-lo.
Os fatores exógenos são contingências que obrigam grupos e organizações a encontrar novas maneiras de resolvê-los (inteligência social).

Portanto, hoje, o crescimento acelerado das populações e o encolhimento dos níveis económicos de vida e a fome no mundo estão a desestabilizar o Mundo e a mostrar a necessidade urgente de equilibrar esses elementos (que os Estados não estão a resolver).

Estes elementos não são facilmente isoláveis, e a mudança tem influências internas e externas, resultando na impossibilidade de definir as causas fundamentais das transformações, um fenómeno difícil de analisar e compartimentalizar uma infinidade de eventos que influenciam a evolução da adaptação humana, condicionados pelos vários fatores pessoais, situacionais, socioeconómicos e culturais.
O próximo post será mais abrangente e complexo, sendo mais voltado para académicos ou estudantes e curiosos de todos os tipos.

Últimas publicações nesta série sobre a Realidade Social: Violência, Poder e Mudança
Introdução:

A Realidade Social: Violência, Poder e Mudança

A - Violência:

Uma Introdução à Violência
Os Conceitos de Violência, Agressão e Agressividade
As teorias da Violência
Os influenciadores da Violência - Parte Um - Cultura e Contexto Social
Os influenciadores da Violência - Parte 2 - Fatores Sociais, Cognitivos e Ambientais
A ascensão da violência de hoje

B - Poder:

O que é Poder? - Introdução
A Natureza do Poder A Dinâmica do poder: Os Efeitos e as Consequências do poder

C - Mudança:

Mudança e Cultura
As Teorias e Conceitos da Mudança

Fatores que determinam a mudança - Parte 1 - versão Lite - este post

Artigos da próxima série de publicações sobre Realidade Social, Violência, Poder e Mudança
C - Mudança:(cont.)

Fatores que determinam a mudança - Parte 2 - Versão Complexa

Os caminhos da mudança
A Mudança social

Referências consultadas:

Les concepts fondamentaux de la psychologie sociale - Gustave-Nicolas Fischer
La psychologie sociale - Gustave-Nicolas Fischer
A dinâmica social-violência, poder, mudança - Gustave-Nicolas Fischer , Planeta/ISPA, 1980
Gustave-Nicolas Fischer é Professor de Psicologia e Diretor do Laboratório de psicologia na Universidade de Metz.
Raven, B. H. e ; Rubin, J. Z. (1976). Social psychology: People in groups
French, J. R. P., e ; Raven, B. H. (1959). The bases of social Power. In D. Cartwright (Ed.),Studies in social Power. Ann Arbor, MI: Institute of Social Research
Castel, R. As metamorfoses da questão social. Vozes, 1998.
Moscovici, S. (1976).Social influence and social change. London: Academic Press.
Michel Foucault, Discipline and Punish: The Birth of the Prison
Festinger, L. (1954). A theory of social comparison processes.
Dahl, R.A. (1957). The Concept of Power,
Giddens, Anthony, Capitalism and Modern Social Theory: An Analysis of the Writings of Marx, Durkheim and Max Weber, 1971.Grabb, Edward G., Theories of Social Inequality: Classical and Contemporary Perspectives,1990.
Weber, Max, Economy and Society: An Outline of Interpretive Sociology, 1968.
Lewin, K. (1948) ‘Action Research and Minority Problems’, in G.W. Lewin (ed.), Researching Social Conflicts , New York: Harper and Row
Parsons, T. (1966). Societies: Evolutionary and comparative perspectives.
Levy, A. (1986) Second-order planned change: Definition and conceptualization, Organisational Dynamics, Vol, 15, Issue 1, pp. 5, 19-17, 23
Watzlawick, P., Weakland, J.H., Fisch, R. (1974) Change: Principles of Problem Formation and Problem Resolution. New York, Norton.

Authors get paid when people like you upvote their post.
If you enjoyed what you read here, create your account today and start earning FREE STEEM!
Sort Order:  

Na sociedade moderna uma das características mais marcantes tem sido a sua capacidade de produzir e absorver mudanças sociais. Tendo em conta que cada mudança social representa uma certa ruptura com a tradição, entretanto, isso não significa necessariamente que as sociedades modernas tenham rompido inteiramente seus vínculos com o passado e com as tradições.
Temos um exemplo com os toiros de morte em Barracos onde a cultura e a tradição se sobrepôs às leis existente no País.

Muito obrigado pelo comentário dos que devia haver mais hehe.
A mudança tem sempre dois pólos, os que rompem com a tradição e os que não aceitam perder a tradição hehe.
Quando os humanos ainda precisam de martirizar os animais para descarregarem as suas pulsões de morte e as agressões do poder, a cultura asfixia a empatia humana com os animais.
Touradas, futebol, e outros são só processos de descarga da violência social e revelam um crescente violência, mostrando-se com sintoma de uma sociedade violenta.
No futebol as claques e mílicias são cada vez mais violentas e "fascisantes" que mostram um grande desrespeito pela vida humana.
Mas os Governos sabem quão importantes são estes eventos que são extensões das psicologia de massas do fascismo.
Vi agora no jornal i umas fotos da inauguração em 10 de junho de 44, do estádio nacional pelo Salazar( que se aborrecia com o futebol e saía a meio dos desafios comn sono hehe) com os desfiles da Mocidade e a federação da "Alegria no Trabalho" . Igualzinho á Alemenha nazi. O estádio nacional foi inspirado pelo Estádio olimpico de Berlim

Like Your Content ...Resteem This Post

Thanks dear for sharing