Os efeitos do poder - Parte 4 - Corrupção

in #psychology2 years ago (edited)

Realidade social: Violência, Poder e Mudança
Os efeitos do poder - Parte 4 - Corrupção


"O poder é um vício" - charlie777pt
Quanto mais poder se tem, mais se quer.

"O poder corrompe; o poder absoluto corrompe absolutamente "- Lord Acton (1887)

Introdução

O Poder tem consequências naqueles que o exercitam porque as pessoas podem ser "possuídas" e tornarem-se viciadas numa necessidade insaciável de controle e à procura de status e riqueza (um símbolo exterior de poder). O Poder fechado e forte atribuído a uma pessoa leva ao seu uso excessivo, manipulação e desumanização do dependente, bem como por outro há uma luta constante para mantê-lo.

Nós já falamos sobre o famoso experimento interrompido do estudo de Zimbardo, Haney e Banks em 1977, onde eles tentaram entender os efeitos do Poder numa expeririência onde um grupo de estudantes selecionados foi dividido para desempenhar dois papéis numa prisão, os guardas, e os prisioneiros.
O que aconteceu foi que o grupo de guardas tinha sido investido com Poder ilimitado para usar a coerção, e eles começaram logo no primeiro dia a usar discursos e comportamentos agressivos contra os prisioneiros que foram aumentando, até eles se tornarem tirânicos e desumanos para os encarcerados.
Para quem estiver interssado existe o filme The Stanford Prison Experiment (2015), que demonstra como uma situação se pode deteriorar rapidamente quando as pessoas são investidas com poder ilimitado.

Quando expostos a situações de controle total do Poder, as pessoas tendem a usá-lo removendo a dimensão Humana dos submetidos, transformando-os em objetos que podem manipular e subjugar sem limites.
A excessiva utilização do Poder nas últimas décadas trouxe recessão, terrorismo, guerras, tiroteios em massa, falências bancárias cobertas por bancos estatais e centrais, escândalos políticos e corrupção, fim da privacidade e vigilância em massa, crimes económicos, colapso ambiental e toxicidade, abusos sexuais e psicológicos, e a total imunidade dos poderosos á justiça .

Além de todas as descobertas científicas crescentes, desenvolvimento da tecnologia e lucros nas empresas gigantes da sociedade atual, vemos uma diminuição da preocupação política com os valores e direitos humanos, e também da solidariedade com os impotentes e pobres, esmagados pelas engrenagens da indústria.

"O poder não corrompe as pessoas, as pessoas corrompem o poder" - William Gaddis

Uma das principais Consequências do Poder é a corrupção, o principal fator destrutivo na desigualdade social de nossos tempos, que se revela incompatível com uma humanidade melhor.

power-corruption-pt.jpg

1- Coerção e controle na escalada do poder


Kipnis, em 1972, estudou a relação entre patrão / empregado em duas situações diferentes:
- um grupo com o poder coercivo de despedir, recompensar, punir, e transferir ou substituir pessoas do grupo de trabalho;
- outro grupo com um chefe que só tinha sua própria persuasão e estatuto para fazer as pessoas se trabalhar.

Os resultados mostraram que no primeiro grupo com fortes poderes, o chefe centrou-se no controle dos subordinados, não estabeleceu relações amigáveis ​​com os membros , tendo mais tendência a avaliá-los negativamente, e a ver os resultados como sua capacidade de realização pessoal e auto-motivação

No segundo grupo, os chefes não se concentraram em controlar os membros, estabeleceram relações mais estreitas com eles e avaliaram as pessoas mais positivamente e os resultados são vistos como o resultado de seu controle sobre os outros.

No final, eles sintetizaram os cinco princípios na escalada do uso do Poder.
a) - O acesso ao Poder pode influenciar proporcionalmente seu uso e o modo de controle e punição
b) - Quanto mais Poder se tem, mais se acredita que se pode controlar os outros, e mais se considera que as pessoas trabalham por dinheiro e menos por motivação
c) - Quanto mais poder se usa, menos se vê os outros a contribuir positivamente, reduzindo os outros a um objeto que pode ser usado com coerção para gerar docilidade e subserviência.
d) - A depreciação progressiva dos outros aumenta a distância social dos que utilizam o Poder, e leva a evitar contatos sociais com os membros
e) - O acesso e o uso do Poder criam auto-imagem e estima positiva nos patrões, vendo os meios e símbolos de Poder como sinais de sua própria avaliação.

2 - A síndrome de Hubris dos detentores do poder.


Vamos terminar este post com o estranho estudo de Lord David Owen que descobriu que as pessoas que tiveram acesso a "alto poder", desenvolvem vários traços psicopatológicos de uma doença do que ele chama o "síndrome de Hubris".
Os ditadores estão expostos à Síndrome de Hubris, porque (quase) não existem restrições no seu comportamento.
Na Grécia, o Hubris é sobre o poder do herói que ganha glória, aclamação e sucesso.
A o "síndrome de Hubris" é um distúrbio de personalidade de pessoas dominantes, resultante da posse e do exercício do poder, especialmente em casos de grande sucesso, com sintomas como desprezo por outras pessoas, desconexão da realidade, ações impulsivas e arriscadas e incompetência.

David Owen, com muitos dados congruentes, apresenta no seu livro "A Síndrome de Hubris: Bush, Blair e a Intoxicação do Poder", sugerindo que George Bush e Tony Blair desenvolveram o Síndrome Hubrístico que afetou as suas personalidades, manifestada em processos irracionais de tomada de decisão..
Vamos ler Owen nas suas próprias palavras sobre as consequências sobre os detentores de poder:

"Uma propensão narcisista de ver seu mundo principalmente como uma arena para exercer poder e glória".
"Confiança excessiva no próprio julgamento do indivíduo e desprezo pelo conselho ou crítica."
"Inquietude, imprudência e impulsividade."
- Lord David Owen

Mais leitura :Sabe o que é Síndrome de Húbris? É a doença do poder!
Stanford Prison Experiment - Edited for the Classroom - Em Inglês

Últimas publicações nesta série sobre a Realidade Social: Violência, Poder e Mudança
Introdução:

A Realidade Social: Violência, Poder e Mudança

A - Violência:

Uma Introdução à Violência
Os Conceitos de Violência, Agressão e Agressividade
As teorias da Violência
Os influenciadores da Violência - Parte Um - Cultura e Contexto Social
Os influenciadores da Violência - Parte 2 - Fatores Sociais, Cognitivos e Ambientais
A ascensão da violência de hoje

B - Poder:

O que é Poder? - Introdução
A Natureza do Poder
A Dinâmica do poder: Os Efeitos e as Consequências do poder

Artigos da próxima série de publicações sobre Realidade Social, Violência, Poder e Mudança

  • Parte 5 - Resistência

C - Mudança:

Mudança e Cultura
As teorias e a conceptualização da mudança
Fatores que determinam a mudança
Os caminhos da mudança
Mudança social

Referências consultadas:

Les concepts fondamentaux de la psychologie sociale - Gustave-Nicolas Fischer
La psychologie sociale - Gustave-Nicolas Fischer
A dinâmica social-violência, poder, mudança - Gustave-Nicolas Fischer , Planeta/ISPA, 1980

Gustave-Nicolas Fischer é Professor de Psicologia e Diretor do Laboratório de psicologia na Universidade de Metz.
Raven, B. H. e ; Rubin, J. Z. (1976). Social psychology: People in groups
French, J. R. P., e ; Raven, B. H. (1959). The bases of social Power. In D. Cartwright (Ed.),Studies in social Power. Ann Arbor, MI: Institute of Social Research
Castel, R. As metamorfoses da questão social. Vozes, 1998.
Moscovici, S. (1976).Social influence and social change. London: Academic Press.
Michel Foucault, Discipline and Punish: The Birth of the Prison
Festinger, L. (1954). A theory of social comparison processes.
Dahl, R.A. (1957). The Concept of Power.
Giddens, Anthony, Capitalism and Modern Social Theory: An Analysis of the Writings of Marx, Durkheim and Max Weber, 1971.
Grabb, Edward G., Theories of Social Inequality: Classical and Contemporary Perspectives,1990.
Weber, Max, Economy and Society: An Outline of Interpretive Sociology, 1968.
Porter, L. and Lawler, E. (1968). Atitudes e Performances Administrativas. Homewood, Ill.: Dorsey Press.
Vroom, V. (1964). Trabalho e Motivação. Nova Iorque: Jon Wiley and Sons.
Vroom, V.H., Yetton, P.W., 1973, “Leadership and Decision – making”, Pittsburgh:
University of Pittsburgh Press.

Sort:  

Há alguns anos atrás, quando a corrupção era comparada com o câncer, eu achava um pouco de exagero... Considerando o cenário atual do Brasil, não acho mais.

É verdade o exemplo do Brasil é um dos maiores sintomas visíveis da corrupção das redes do poder. Claro que no Brasil sempre houve por trás a mãozinha negra dos Estados Unidos, que sempre ajudaram os governos autocráticos, e impediram o seguimento natural do desenvolvimento desse grande país que me deixa sempre saudades da sua "gente fina"( para quem é de Portugal isto não quer dizer gente rica mas gente boa)

The Stanford Prison Experiment

Good video.

Tomar post gula khub valo quality sompurno hoy.. tmi agiye jaw..asha kori tumi khub valo quality full post korte parbe in future.

i dont understand due to other language
but i mean its seem to corruption which treated as human and failing down to the view of ruin
its great distortion that man want to profite for ownselve.its created corruption

no dout its so great post .
corruption is now a days a great problem no dout
its ruin our nation

Hi!

I had a look around at your blog and really like your work! Will review more for sure when I get the opportunity.

Also, I took your feedback on my blog and just included an introduction! Thank you for the pointers they were useful.

Warm Regards,
@Shenobie

really a great content that you shared here
now it seems a great effect for our society and people
its really great content that violence are created through the country,,,