O que é o Anarquismo? - Parte 3 - Os Tipos de Anarquismo

in #anarchy2 years ago (edited)

A Dialética da Libertação: Anarquismo, Existencialismo e Descentralismo.
O que é o Anarquismo? - Parte 3 - Os Tipos de Anarquismo

"A ideologia controla o nosso cérebro e a política possui a nossa vontade". - charlie777pt

Introdução

Parece que há uma crescente reanimação das teorias e práticas do anarquismo, e esta renovação de interesse, parece-me que está a ser ressuscitada no primeiro reinado anárquico do Mundo, a Internet.

Além de suas aparentes contradições, o anarquismo apresenta um grande corpo teórico e congruência de idéias e dicas para práticas individualistas e coletivistas que precisamos de congregar hoje.

As disputas doutrinárias de todas as facções do anarquismo podem ser resolvidas encontrando os pontos comuns e dissolvendo as diferenças com o diálogo.

Todos naturalmente nascem anarquistas, mas a sociedade molda as nossas visões do mundo com a educação, e devemos olhar para dentro de nós mesmos, para descobrir que nos esquecemos de como éramos antes.

“Quem quer que ser livre deve-se libertar. Liberdade não é um presente de fadas para cair no colo de um homem. O que é liberdade? Ter a vontade de ser responsável por si mesmo.”- Max Stirner

O terrorismo anarquista do final do século XIX surgiu na Revolução Russa, com um heroísmo romantizado para as massas, com banhos de sangue e bombas, como uma forma de derrubar o regime da realeza, e para chamar a atenção das massas radicalmente insatisfeitas, e provocar agitação social.

O terrorista Emile Henry escreveu em uma carta antes de ser executado: “Cuidado com a crença de que a anarquia é um dogma, uma doutrina acima da questão ou debate, a ser venerada por seus adeptos”

1 - Anarquismo Filosófico

William Godwin (1756 - 1836) é considerado o fundador do Anarquismo Filosófico, um utilitarista, talvez seja o primeiro teórico do anarquismo, defendendo um individualismo extremo e a eliminação da cooperação no trabalho.

Acima de tudo, não devemos esquecer que o governo é um mal, uma usurpação do julgamento pessoal e da consciência individual da humanidade. - William Godwin

O anarquismo filosófico declina a legitimidade moral do Estado, para impor leis e barreiras sociais, e queria reduzir ou eliminar a influência do estatismo.

2 - Anarquismo Individualista

Max Stirner (1806 - 1856), seguindo William Godwin, propôs uma forma egoísta suprema de anarquismo individualista, centrada na total da liberdade individual de querer fazer o que quer, sem respeito por deuses transcendentes, domínio do Estado e de regras morais.

"Todas as coisas são nada para mim" - Max Stirner, The Ego and Its Own

O anarquismo individualista opõe-se ao anarquismo social, defendendo o direito de propriedade privada em uma economia de mercado aberta.

O Anarquismo Individualista abriu muitos novos ramos como a facção dos EUA de Josiah Warren Thoreau (1798 - 1874) e Benjamin Tucker (1854 - 1939),

"Assassinato é um ato ofensivo. O termo não pode ser aplicado legitimamente a nenhum ato defensivo." - Benjamin Tucker

Eles tinham um princípio pacífico de não-agressão, a primazia da vontade individual e defendiam a propriedade privada numa economia de mercado, sendo os bens valorizados no preço de custo da produção parecendo anarco - capitalismo no aspecto de ser capitalismo pró-livre, mas eles viam-se como socialistas e anti-capitalistas.

2.1 - Mutualismo

Anarquismo social ou Mutualismo foi proposto por Pierre-Joseph Proudhon (1809-1865) e este movimento foi fortalecido por seu seguidor Mikhail Bakunin (1814-1876) sob o rótulo coletivista e nomeou-se comunistas e depois comunistas libertários com Peter Kropotkin (1842-1921). um otimista utópico.

"O mutualismo tem individualismo ilimitado como a condição prévia essencial e necessária de sua própria existência, e coordena indivíduos sem qualquer sacrifício de individualidade, em um todo coletivo, por confederação espontânea ou solidariedade". - William B. Greene - Comunismo versus Mutualismo

2.2 - Anarco-capitalismo

Anarco-capitalismo ou anarquismo de livre mercado é uma facção extremada do anarquismo individualista que tenta casar o anarquismo com o capitalismo, e pode ser considerado parte do movimento libertário que quer que o estado fique fora dos negócios das leis, polícia, defesa e tributação comercial compulsória. para um mercado livre auto-regulado e total liberdade pessoal.

Apesar de o anarco-capitalismo ser atribuído a Gustave de Molinari (1819 - 1912), sendo Murray Rothbard (1926 - 1995) um dos seus grandes promotores nos EUA.

"A anarquia não é garantia de que algumas pessoas não matem, firam, sequestrem, defraudem ou roubem outras pessoas. O governo é uma garantia de que alguns o farão". - Gustave de Molinari

A dinâmica da liberdade é a possibilidade de desenvolvimento constante do nosso pensamento e formas de ação para abrir novos horizontes para a auto-regulação sem as restrições das regras e regulamentos morais. .

2.3 - Agorismo

O Agorismo é sobre o individualismo extremo e uma amplificação total do anarco-capitalismo e nasceu com a concepção de Samuel Edward Konkin III (1947 - 2003). Ele baseia-se no pensamento de Murray Rothbard de trocas mútuas voluntárias em um livre mercado global para tornar o Estado obsoleto.

"As grandes indústrias cartelizadas podem comprar políticos e obter vantagens diretamente do Estado" - Samuel Edward Konkin

O Agorismo não acredita em votar pois é agir de forma contrária à ética libertária, e Konkin recusou aderir ao Partido Libertário dos EUA, porque infecta o libertarianismo com o estatismo.

“Um libertário é alguém que acredita no princípio da não-agressão. Um anarquista é alguém que entende isso. Um agorista é alguém que pratica isso.”- Mike Zentz

3 - Anarquismo Social

Anarquismo Social é sempre visto como o oposto do anarquismo individualista de Stirner, enfatizando a ausência de autoridade em cada julgamento individual, mantendo a visão anti-dogmática dos libertários.

O Anarquismo Social parece ser a melhor maneira de reunir ativistas do pacifismo e os movimentos ambientais que têm um estado Anarquista latente esperando para despertar e se reunir.

"Estamos aqui na terra. Nenhum de nós tem direito à terra." - Benjamin Tucker

A facção anarquista individualista da liberdade total e a facção coletivista da organização do anarquismo social talvez concordem que têm o mesmo desejo espiritual de liberdade pessoal.

3.1 - Anarco-comunismo

O anarco-comunismo ou anarquismo comunista manifou-se primeramente na Revolução Francesa e mais tarde foi popularizado por Peter Kropotkin (1842 - 1921) e Emma Goldman (1869 - 1940), mas proposto por Joseph Déjacque (1821 - 1864) um antigo poeta anarco-comunista e escritor.

Eles propunham uma cooperação federativa de comunas autogovernadas e consensuais, organizadas numa democracia direta como um modelo alternativo para a democracia, baseado no igualitarismo de nascimento sem hierarquias e classes.

Economicamente, uma produção coletivista colaborativa, seria baseada no valor de uso de bens em vez do seu valor de troca, que seria pago em livre acesso a recursos comunitários e excesso de oferta.

3.2 - Anarco-sindicalismo

O anarco-sindicalismo surgiu no século XX com Rudolf Rocker (1873 - 1958), e baseou-se nos movimentos operários e sindicatos fortes como uma mudança revolucionária na sociedade, substituindo o Estado e o sistema capitalista pela democracia operária.
Para mim, isto será apenas substituir mesmas restrições de uma estrutura organizacional hegemónica, pelo poder piramidal de outra, porque a concentração de poder é sempre um bloqueio na evolução social.

3.2 - Anarco-coletivismo

O Anarco-Coletivismo é uma teoria coletivista que foi formulado pelo anarquista Mikhail Bakunin (1814-1876) sob o conceito da eliminação do Estado e a coletivização dos meios de produção organizados pelos produtores, e as pessoas eram pagas pelo tempo dedicado a fazer as mercadorias

O Anarco-Coletivismo queria principalmente inspirar atos de agressão e violência contra o poder, por um grupo de elite que arrastaria as massas à revolta para alcançar os seus objetivos, e eles tinham uma grande oposição à centralização do comunismo e do socialismo.

"A paixão pela destruição também é uma paixão criativa". - Mikhail Bakunin

4 - Outros "Anarquismos"

  • Anarquismo sem Adjetivos - O movimento que deve ser reenergizado porque quer aglutinar e criar diálogo com os vários militantes e facções anarquistas para criar unidade sob os objetivos anti-autoritários comuns e crenças pessoais de liberdade.
  • "Não tenho nenhum prefixo ou adjetivo para o meu anarquismo. O sindicalismo creio que pode funcionar, como pode o anarcocapitalismo de mercado livre, o anarco-comunismo, inclusivo anarco-ermitãos, dependendo da situação." - Fred Woodworth, do livro Vozes anarquistas, de Paul Avrich

  • Anarquismo Verde - É um movimento de anarquistas e ativistas dedicados à proteção do meio ambiente.
  • Eco-Anarquismo - Anarquistas Verdes organizam-se na sociedade em pequenos grupos ecológicos de acordo com o número de Dunbar, com menos de 150 membros.
  • Anarco-Pacifismo - Anarquista contra qualquer forma de uso de violência ou agressão.
  • Anarco-Primitivismo - Anarquistas Verdes que lutam pela abolição da tecnologia como um gerador de desigualdade.
  • Anarquismo Nacional - Um possível casamento fracassado para reconciliar o anarquismo com o nacionalismo.
  • Anarquismo Religioso - Um casamento irreconciliável de religiões como o cristianismo e o budismo, e neopagãos com anarquismo.
    Estou a mencionar o anarquismo religioso, mas no meu ponto de vista pessoal, não podemos colar uma filosofia traiçoeira movendo nosso destino, com uma filosofia terrena para mudar o mundo em que vivemos.
    Espero que a transcendência implemente a anarquia no céu ou em qualquer outro santuário cosmológico e então tenhamos anarquia na Terra.
  • Anarcha-Feminismo - Feminismo Radical une-se ao anarquismo, para combater o paternalismo e as hierarquias.
  • Anarquismo Insurrecionário - Organizado informalmente para a ação revolucionária
  • Anarquismo Epistemológico - Uma teoria de Paul Feyerabend (1924 - 1994), enfatizando que não há regras metodológicas que governem o progresso da ciência e a evolução do conhecimento em seu livro "Contra o método e a ciência em uma sociedade livre".

Existem muitas mais facções do anarquismo, que mencionaremos sempre que for necessário.

No próximo post vamos começar uma análise mais detalhada da história e evolução do Anarquismo para terminar encontrando os benefícios comuns que possam reunir os movimentos anarquistas, sob o objetivo comum da Liberdade em direção à dissolução do estatismo e da autoridade.

A Dialética da Libertação: Anarquismo, Existencialismo e Descentralismo.
Artigos publicados:

Introdução à Dialética da Libertação: Anarquismo, Existencialismo e Descentralismo

I - Anarquismo

O que é o Anarquismo?

Próximos posts da Série:
I - Anarquismo

  • O que é o Anarquismo?
    • Parte 3 - Os Tipos de Anarquismo - Este post
  • A História do Anarquismo
    • Parte 1 - Pré-Anarquia - Revolução Social
      • 1 - Insurreição
      • 2 - Ação Intelectual
      • 3 - Ação Política
    • Parte 2 - Anarquia: Revolução Contra o Estado
      • 1 - Federalismo Anarco
      • 2 - Anarquismo Libertário
      • 3 - Anarco-sindicalismo
  • A Anarquia Hoje

II - Existencialismo

  • O que é o existencialismo?
  • Os "Existencialismos"
  • Humanismo e Existencialismo
  • Existencialismo e Anarquismo

III - Descentralismo

  • O que é o Descentralismo?
  • A Filosofia do Descentralismo
  • Blockchain e Descentralização
  • Anarquismo, Existencialismo e Descentralismo

IV - Dialética da Auto-Libertação

  • O Congresso da Dialética da Libertação
  • Psicanálise e existencialismo
  • O movimento antipsiquiátrico

Leituras:

Anarquismo - Wkipedia
Correntes do anarquismo

Referências:

Bey, Hakim (1991) 7:A.Z.: the Temporary Autonomous Zone, Ontological Anarchy, Poetic Terrorism, Brooklyn, NY: Autonomedia.
Byas, Jason Lee, Toward an Anarchy of Production - Parts I and II
Marshall, Peter, Demanding the Impossible A History of Anarchism, Fontana Press (1992 )
Oizerman, Teodor.O Existencialismo e a Sociedade. Em: Oizerman, Teodor; Sève, Lucien; Gedoe, Andreas, Problemas Filosóficos.2a edição, Lisboa, Prelo, 1974.
Rothbard, Murray N., The Ethics of Liberty (1982)
Rothbard, Murray N., For a New Liberty The Libertarian Manifesto, Revised Edition
Tucker, Benjamin, Individual Liberty, Selections From the Writings
Sort:  

Resteemed.

Thanks.!!!

Tens que escrever um livro, amigo Carlos. Muito obrigada pelo que sistematizas nos teus posts! Grandes ensinamentos!
Um abraço!

Obrigado amiga, o esforço é muito grande para meter o Rossio na Rua da Betesga. :)

Podes crer! Por isso digo que tens que escrever um livro! Eu sou cliente nº 1!

Aquele quarteto que você fez na figura representa bem o que você quis dizer no post inteiro (por sinal, mais um ótimo post para a sua conta, haha).

Já pensou em transformar isso em uma complicação para um possível livro, @charlie777pt?

Muito Agradecido wise friend.
Gostaria apenas de por em Blockchain, mas infelizmente não me lembro do site.
Alguém que conheça agradeço

Existem muitos outros tipos de anarquismos.😁👍

Olá amigo Santana.
Para por todos os anarquismos neste post ficava um livro hehe. E ele já ficou grande demais.
Meter a anarquia numa lata de sardinhas foi difícil.:)
E venham daí polémicas para discussão construtiva.
Abraço

Tens que escrever um livro, amigo Carlos. Muito obrigada pelo que sistematizas nos teus posts! Grandes ensinamentos!
Um abraço!