Hipermodernidades 21 - A esperança tem um lugar legítimo e, ao mesmo tempo, perverso

in #pt2 years ago

Extraviados do lugar-comum do quotidiano da moda (a idade liberta e liberta-se do anúncio efémero), com o humor necessário para a exclusão do ridículo que a mimese impõe para que o fulgor publicitário não desista de se aplicar sem rodeios ao consumo, os viajantes serenos percorrem ruas iluminadas e questionam a necessidade de rupturas nesta paisagem estrangulada pelo medo, pelo silêncio e pelo terror de não pagar a despesa que a produção de supérfluos impinge numa construção de um calendário reinventado com datas puramente comerciais que apelam aos afectos, às emoções, aos desejos.

Disfunções da realidade permitem que, perante a cegueira da ficção da montra, a distracção imponha subliminarmente o êxito do mimetismo que vai impedindo uma estética de mudança.

Não aceitar a imprevisibilidade da alteração histórica que a imagem-excesso sublinha é ceder aos interesses desumanos para que o quotidiano do cidadão se reduza à produção, ao crescimento cego e à economia que conduzirá o indivíduo à falência da sua existência livre.

O despautério promove acidamente a anulação de autonomia, criando a sensação de uma emancipação irreal quando na verdade se é objecto de manipulação agressiva do facto diário.

Procuram-se novas sensações para que a desestabilização emocional dos indivíduos os impeça de agir com inteligência e livremente perante as adversidades da existência fabricadas em laboratório.

O conhecimento cedeu lugar à tecnologia e ao fascínio pelo mundo virtual, metáfora da falsidade e da inexistência, criando ilusões de comando e autonomia que na consciência íntima reduz o homem à sua impotência como um criador revolucionário de mudanças.

Esta perversão mercantil do ser pode levar-nos a uma convulsão social de dimensões inimagináveis. E a História assumirá o seu papel, mais uma vez, de condutora de mutações.

E nessa imprevisibilidade a esperança tem um lugar legítimo e, ao mesmo tempo, perverso.

Se não sabemos para onde vamos, por que razão nos deixamos levar para destinos presumivelmente negros? A época das referências antidemocráticas está aí.

O risco da inutilidade da acção e da sua ineficácia, o desinteresse que invalida a própria defesa do bem comum e a proverbial cobardia dos crentes em destinos divinos, são vectores que colocam em cheque a condição de possibilidade de futuro.

Luís Filipe Sarmento, Gabinete de Curiosidades, Lisboa, São Paulo, 2017

20883993_10212917502829770_1208878041_o.jpg
Foto: José Lorvão

Sort:  

@lfsarmento, Parabéns! O teu post foi votado e resteem pelo Projeto Camões!

camoes sign.gif

PROJETO CAMÕES - LÍNGUA PORTUGUESA NO STEEMIT!

Muito vos agradeço.

World of Photography Beta V1.0
>Learn more here<

Thank you for participating in #portraitphotography, the weekly selection will be released on Saturday.

You have earned 5.60 XP for sharing your photo!

Daily Stats
Daily photos: 1/2
Daily comments: 0/5
Multiplier: 1.12
Server time: 19:05:01
Account Level: 0
Total XP: 85.80/100.00
Total Photos: 15
Total comments: 5
Total contest wins: 0
When you reach level 1 you will start receiving up to two daily upvotes

Follow: @photocontests
Join the Discord channel: click!
Play and win SBD: @fairlotto
Learn how to program Steem-Python applications: @steempytutorials
Developed and sponsored by: @juliank