Meu sonho

in #poem4 months ago

Eu tenho vasculhado minha memória,

Tentando dar sentido ao meu sonho.

Não consegui desvendar quais eventos

Aconteceu primeiro, e o que veio depois,

Qual foi a causa,

Qual foi o efeito, muito parecido com Tenet.

Murakami me disse,

É perigoso incluir

Sonhos em meu trabalho.

Eu vou tentar de qualquer maneira,

Apenas para reter e manter

O conceito de mim mesmo.

Todas as noites nos meus sonhos,

Esta estranha mas familiar figura humana

Vem a mim para um conselho

E eu digo a ele:

Não há amigos ao anoitecer.

A resposta é espontânea, sem pensamento.

Não tenho certeza se a figura entende

Ou até tenta.

Ele segue e tem sucesso?

Ou pior,

Escorregue e caia no cinturão de asteróides,

Entre Marte e Júpiter.

Eu sei muito pouco dele

Mas eu vou até ele. Eu acordo após o conselho.

Este não é o fim.

Estou apenas na metade do caminho.

Tente decifrar por tempo suficiente

E as fronteiras começam a se fundir,

Socos tornam-se esquivas e

Jabs parecem uma falha.

A lógica se infiltra profundamente nas sombras de sonho

Para evitar a luz do dia.

Vivemos em um mundo crepuscular,

E não há amigos ao anoitecer.