Evanescence: A coming back to the roots.

in GEMSlast year

This publication was also written in SPANISH and PORTUGUESE.

Jovem Pam

If you don't already know, this rock band (which was one of the most popular in the 2000s) is one of the most anticipated musical returns of 2020. After nine long years without releasing anything new (a tedious hiatus for the most enthusiastic fans) Evanescence has an album scheduled to be released later this year. The project's title is The Bitter Truth (a name that I found extremely suggestive for the meaning of the sound that the band makes) and - yet - without a more specific date to reach the world, it will be released through the BMG label.

Whiplash

After the first single ("Wasted On You") was released and also a music video, today the band continues the process of promotion and released another song: "The Game Is Over". This is the second single from the album and has already arrived making a lot of noise (in a good sense of the word) and the result of the song is something surreal and reminiscent of the band in its early career. I, as a fan of the band from the beginning, have to confess that I am very much with everything that is yet to come.

The music is very powerful (and its harmony grows "magically"), has an excellent production (something that is also making an impression on me), the lyrics are very significant and in addition, they have the striking presence of the sounds of a frantic drum and the guitar as the main elements. Amy Lee continues to demonstrate that her voice can be as angelic and, at the same time, as brutal as a punch in the stomach when she sings so beautifully and in such an impressive way.

The music video is a simple production, but much more ambitious and more intense than the previous video. In it, the members are shown with "different" faces and each of them has "dark" sides that are explored throughout the projection. Mixing some elements with a somewhat bitter atmosphere, the material has a "fight against the system" vibe (something that has a revolutionary effect at times) and also brings a sense of search for the essence where the freedom to be who you are your biggest prize.

Some technical aspects are also praiseworthy: the editing of scenes is very good, the transition effect with some special effects is very assertive (and some moments create the perfect look to translate a part of the music), the colors are vibrant and the scenarios were well chosen. There is a lot of subjectivity throughout the projection and this is great for each person to create their own interpretation of what they are watching. So, it is not just another music video, but a work that is reflective and certainly opens up a wide field for interesting discussions.

Judging by the two singles that have already been released by the band, I really think this is an album with a lot of potential to be something extremely relevant not only for the band's career (and for fans, obviously), but also to catch the attention of critics, from the media and so, bring them back into the spotlight of the music world (and especially the rock scene). As a fan, I'm really looking forward to hearing this entire album and seeing something I already know: This will be one of the best albums they have ever made!


Evanescence: Un retorno a las raíces.

Si aún no lo sabe, esta banda de rock (que fue una de las más populares en la década de 2000) es uno de los retornos musicales más esperados de 2020. Después de nueve largos años sin lanzar nada nuevo (un tedio tedioso para los fanáticos más entusiastas) Evanescence tiene un álbum programado para ser lanzado a finales de este año. El título del proyecto es The Bitter Truth (un nombre que encontré extremadamente sugerente para el significado del sonido que hace la banda) y - sin embargo - sin una fecha más específica para llegar al mundo, se lanzará a través del sello BMG.

Después de que se lanzó el primer sencillo ("Wasted On You") y también un video musical, hoy la banda continúa el proceso de promoción y lanzó otra canción: "The Game Is Over". Este es el segundo sencillo del álbum y ya ha hecho mucho ruido (en el buen sentido de la palabra) y el resultado de la canción es algo surrealista y recuerda a la banda en sus primeros años de carrera. Yo, como fanático de la banda desde el principio, tengo que confesar que estoy muy con todo lo que está por venir.

La música es muy poderosa (y su armonía crece "mágicamente"), tiene una producción excelente (algo que también me está impresionando), las letras son muy significativas y, además, tienen la sorprendente presencia de los sonidos de un tambor frenético y la guitarra como elementos principales. Amy Lee continúa demostrando que su voz puede ser tan angelical y, al mismo tiempo, tan brutal como un puñetazo en el estómago cuando canta de una manera tan bella e impresionante.

El video musical es una producción simple, pero mucho más ambiciosa e intensa que el video anterior. En él, los miembros se muestran con caras "diferentes" y cada uno de ellos tiene lados "oscuros" que se exploran a lo largo de la proyección. Mezclando algunos elementos con una atmósfera un tanto amarga, el material tiene una vibra de "lucha contra el sistema" (algo que a veces tiene un efecto revolucionario) y también trae un sentido de búsqueda de la esencia donde la libertad de ser quien eres tu mayor premio.

Algunos aspectos técnicos también son dignos de elogio: la edición de escenas es muy buena, el efecto de transición con algunos efectos especiales es muy asertivo (y algunos momentos crean el aspecto perfecto para traducir una parte de la música), los colores son vibrantes y los escenarios fueron bien elegido Hay mucha subjetividad en toda la proyección y esto es excelente para que cada persona cree su propia interpretación de lo que está viendo. Entonces, no es solo otro video musical, sino un trabajo que es reflexivo y ciertamente abre un amplio campo para discusiones interesantes.

A juzgar por los dos singles que ya han sido lanzados por la banda, realmente creo que este es un álbum con mucho potencial para ser algo extremadamente relevante no solo para la carrera de la banda (y para los fanáticos, obviamente), sino también para llamar la atención de los críticos. , de los medios de comunicación y así, traerlos de vuelta al centro de atención del mundo de la música (y especialmente la escena del rock). Como fanático, tengo muchas ganas de escuchar todo este álbum y ver algo que ya sé: ¡Este será uno de los mejores álbumes que hayan hecho!


Evanescence: Um retorno às raízes.

Se você ainda não sabe, essa banda de Rock (que foi uma das mais populares nos anos 2000) é um dos retornos musicais mais esperados de 2020. Depois de longos nove anos sem lançar nada novo (um entediante tempo de hiato para os fãs mais antigos), Evanescence está com um álbum programado para ser lançado ainda este ano. O título do projeto é The Bitter Truth (um nome que eu achei extremamente sugestivo para o significado do som que a da banda faz) e - ainda - sem uma data mais específica para chegar ao mundo, será lançado através da gravadora BMG.

Depois do primeiro single ("Wasted On You") ser divulgado e também um vídeo musical, hoje a banda continua o processo de divulgação e liberou mais uma canção: "The Game Is Over". Este é o segundo single do álbum e já chegou fazendo muito barulho (no bom sentido da palavra) e o resultado da música é algo surreal e que lembra demais a banda no seu início de carreira. Eu, enquanto fã da banda desde o início, tenho que confessar que estou muito com tudo o que ainda está por vir.

A música é muito poderosa (e a harmonia dela vai crescendo "magicamente"), tem uma produção excelente (algo que também está me deixando impressionado), a letra é muito significativa e além disso, tem às presenças marcantes dos sons de uma bateria frenética e da guitarra como elementos principais. Amy Lee continua demonstrando que à sua voz pode ser tão angelical e, ao mesmo tempo, tão brutal quanto um soco na boca do estômago ao cantar tão lindamente e de uma forma tão impressionante.

O vídeo musical é uma produção simples, mas muito mais ambiciosa e mais intensa do que foi o vídeo anterior. Nele, os integrantes são mostrados com "diferentes" faces e cada um deles apresenta lados "obscuros" que vão sendo explorados ao longo da projeção. Misturando alguns elementos com uma atmosfera meio amarga, o material tem uma vibe de "luta contra o sistema" (algo que tem um efeito revolucionário em alguns momentos) e também trás uma sensação de busca pela essência onde a liberdade de ser quem você é o seu maior prêmio.

Alguns aspectos técnicos também merecem elogios: a edição de cenas está muito boa, o efeito de transição com alguns efeitos especiais é bem assertivo (e alguns momentos criam o visual perfeito para traduzir uma parte da música), as cores são vibrantes e os cenários foram bem escolhidos. Há muita subjetividade ao longo da projeção e isso é ótimo para que cada pessoa possa criar à sua própria interpretação sobre o que está assistindo. Então, não trata-se de apenas mais um vídeo musical, mas de uma obra que reflexiva e que certamente abre um amplo campo para discussões interessantes.

Julgando pelos dois singles que já foram liberados pela banda, eu realmente acho que esse é um álbum com muito potencial de ser algo extremamente relevante não apenas para a carreira da banda (e para os fãs, obviamente), mas também fisgar à atenção dos críticos, da mídia e assim, trazê-los de volta para os holofotes do mundo da música (e principalmente do cenário do Rock). Enquanto fã, eu estou muito ansioso para ouvir esse álbum inteiro e constatar uma coisa que eu já sei: Esse será um dos melhores álbuns que eles já fizeram!

Sort:  

Nossa, como eu ouvia esta banda na adolescência, a voz da Amy Lee é mágica , encanta. Ansiosa por este tão aguardado álbum. Adoro sentir esta nostalgia!rs
Abraços ; )

Coin Marketplace

STEEM 0.49
TRX 0.09
JST 0.063
BTC 50018.31
ETH 4325.54
BNB 587.22
SBD 6.05