O impacto social dos setores relacionados a economia criativa na cidade de São Paulo durante o Carnaval.

>economiacriativa.jpg

No Reino Unido, onde surgiu a nomenclatura “Indústrias Criativas”, proclamou-se como suas partes integrantes treze setores da atividade britânica cultural e econômica, que abrangem o artesanato, arquitetura, artes cênicas, artes e antiguidades, cinema, design, editorial, moda, música, publicidade, software, software interativo de lazer – videogames, televisão e rádio. (VIILLAVERDE, 2017)

No Brasil, o Plano Nacional de Economia Criativa, foi publicado em 2012 pela Secretaria da Economia Criativa, criada no âmbito do Ministério da Cultura, tendo por base as experiências e pesquisas realizadas pela Unesco e pela Unctad. Propôs em sua abrangência os setores ligados a música, filme e vídeo, tv e rádio, mercado editorial, design e moda, artes visuais, artes cênicas e dança, cultura popular, publicidade, arquitetura, jogos e animação, gastronomia, turismo, e tecnologia digital. (VIILLAVERDE, 2017)

Com pequenas diferenças, a abrangência da economia criativa tem como matéria prima a inteligência e a criatividade humana, recursos que ao serem trabalhados tendem ao infinito. No Brasil, o Carnaval constitui-se numa das mais conhecidas expressões culturais do país, capaz de nas suas diversas formas de manifestação explorar a inteligência e a criatividade do brasileiro. Transformando-o em protagonista, capaz de gerar renda e prosperidade aos diversos atores participantes desta manifestação cultural. (VIILLAVERDE, 2017)

Os subsetores ligados a economia criativa em torno deste evento de expressão da cultura e saber popular, tem diversos pontos de interface uns com os outros, e destas nascem significativas experiências. Ao se transformar numa performance de massa, a moda ganha identidade e diferencial pela interface com o artesanato, e as artes cênicas renovam-se quando trabalhadas no espaço público. (FONSECA REIS; DEHENZELIN, [201-?])

De forma sintética, quanto mais interação houver entre os subsetores originados das artes e indústrias criativas e aqueles que se originam da vida comunitária e cultura tradicional, mais rica e diferenciada será a produção em Economia Criativa. (FONSECA REIS; DEHENZELIN, [201-?], p. 26)

Em 2019, o Carnaval de rua de São Paulo cadastrou 556 desfiles de blocos. Segundo levantamento da empresa municipal de turismo, SPTuris, o evento nas ruas da capital paulista movimentou R$ 550 milhões em 2018 - ante R$ 314 milhões no ano anterior. (CUNHA, 2019)

Ainda de acordo com a pesquisa da SPTuris, em 2018, 21% dos foliões paulistanos disseram ter recebido parentes ou amigos que não moram na cidade, aumento de quase 50% ante 2017. E no site de aluguel de imóveis para temporada Airbnb, o volume de reservas para hospedagem na capital paulista foi de 87% superior no período. As redes de vestuário Renner e Hering, pela primeira vez expuseram suas marcas no Carnaval da cidade. E no setor de cervejas o investimento avançou. (CUNHA, 2019)

O patamar de profissionalização chegou a tal ponto que o bloco Acadêmicos do Baixo Augusta, cujo primeiro desfile aconteceu em 2010, hoje se mantém funcionando durante todo o ano com um projeto social para a realização de shows e atividades gratuitas apoiado pela marca Doritos. (CUNHA, 2019)

Além dos setores ligados diretamente a Economia Criativa, os desfiles realizados no Sambódromo do Anhembi, na cidade de São Paulo, mobiliza centenas de profissionais da logística, numa operação que envolve o deslocamento de mais de 50 mil pessoas, expectadores e participantes dos desfiles. (A LOGISTICA…, 2015)

Os processos são realizadas pela Liga SP (Liga Independente das Escolas de Samba de São Paulo) em parceria com a Prefeitura. O transporte é realizado pelas próprias escolas, que tem apoio da Liga, da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), e da Eletropaulo. (A LOGISTICA…, 2015)

Outro termômetro do aquecimento pode ser encontrado nos sites de venda online, dedicado a venda de ingressos, o Eventbrite registrou um volume de eventos ligados ao Carnaval 67% maior do que no feriado do ano passado na cidade. Entre eles ingressos para happy hours carnavalescos, e ofertas de atrações como retiros tântricos fora da capital, com preços em torno de R$ 2.000 pelos quatro dias. (CUNHA, 2019)

Para além dos recordes numéricos, o que acontece agora com o Carnaval paulistano é um salto de status. O evento passou a ser visto por grandes marcas e artistas do circuito carnavalesco como experiência obrigatória. (CUNHA, 2019)

Sociologicamente o Carnaval se manifesta por meio de múltiplos reservatórios de símbolos culturais que sobreviveram ao longo do tempo, e que se retroalimentam constantemente em seu período de festas. (PEREIRA DE CARVALHO; MADEIRO, 2005)

Na cidade de São Paulo podemos constatar por meio dos autores discutidos, que a movimentação de recursos em torno desta manifestação da cultura popular, envolve toda uma cadeia dos setores relacionados a Economia Criativa. E também outros como o caso da logística. Ao criar, transformar, e ofertar múltiplos produtos e serviços, o Carnaval assume na cidade, características de megaempreendimento e articula-se de forma multifacetada.

A great hug!
Guilherme Faquetti
August 28, 2019


Classical_Music_smaller.png
The classical music community at #classical-music and Discord. Follow our community accounts @classical-music and @classical-radio. Follow our curation trail (classical-radio) at SteemAuto Community Logo by ivan.atman


ptgram


ptgram power: | faça parte | grupos | projetos | membros |
| ptg shares | trilha premium | fórum externo | fórum na blockchain |

siga: | @brazine | @brazilians | @camoes | @coiotes | @dailycharity | @imagemvirtual | @msp-brasil | @ptgram-power |


REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ViILLAVERDE, Adão. Carnaval: síntese da economia criativa, 2017. Disponivel em: http://www.portalcafebrasil.com.br/iscas-intelectuais/carnaval-sintese-da-economia-criativa/. Acesso em: 25 ago. 2019.

FONSECA REIS, A. C.; DEHENZELIN, L. Cadernos de Economia Criativa: Economia Criativa e Desenvolvimento Local. Sebrae, Secretaria de Cultura do Espirito Santo. [201-?]. Disponível em: http://vix.sebraees.com.br/arquivos/biblioteca/Cadernos%20de%20Economia%20Criativa.pdf. Acesso em: 25 ago. 2019.

A Logistica dos Desfiles de Carnaval. Blog Logistica. São Paulo ,05 mar. 2015. Disponível em: https://www.bloglogistica.com.br/mercado/a-logistica-dos-desfiles-do-carnaval/. Acesso em: 25 ago. 2019.

CUNHA, Joana. Carnaval de São Paulo passa o do Rio e vira polo de negócios. Valor Econômico. São Paulo, 03 mar. 2019. Disponível em: https://www.valor.com.br/empresas/6145201/carnaval-de-sao-paulo-passa-o-do-rio-e-vira-polo-de-negocios Acesso em: 25 ago. 2019.

PEREIRA DE CARVALHO, C. A.; MADEIRO, G. Carnaval, Mercado, e Diferenciação Social. Organizações & Sociedade, vol. 12, núm. 32. jan.-mar. 2005, pp. 165-177 Universidade Federal da Bahia Salvador, Brasil.

Sort:  

Parabéns, seu post foi selecionado pelo projeto Brazilian Power, cuja meta é incentivar a criação de mais conteúdo de qualidade, conectando a comunidade brasileira e melhorando as recompensas no Steemit. Obrigado!

footer-comentarios-2.jpg

Obrigado por postar! Esse comentário é o novo bot que dará upvote 1% para todos os posts que usam a tag #pt.

Hello @guifaquetti, thank you for sharing this creative work! We just stopped by to say that you've been upvoted by the @creativecrypto magazine. The Creative Crypto is all about art on the blockchain and learning from creatives like you. Looking forward to crossing paths again soon. Steem on!

Coin Marketplace

STEEM 0.20
TRX 0.03
JST 0.030
BTC 36450.36
ETH 1226.51
USDT 1.00
SBD 3.21