Os Biotas sonham com uma cidade blockchain?

in blockchain •  last year  (edited)

O Biota - Um novo tipo de homem para a era pós-escassez - Humanidade 5.0

A centralização é o câncer e o "buraco negro" do capitalismo selvagem que suga os recursos naturais limitados da "Nave espacial Terra ".
O blockchain e a descentralização podem e estão a construir o "buraco branco" dos Valores Humanos e da Mãe Natureza como um efeito contrário ao "buraco negro".
O colapso da tecnológica e politicamente pervertida civilização atual é evidente e inevitável, exceto que ninguém sabe quando isso acontecerá.

O novo paradigma da Humanidade e dos Cinco Constituintes do Homem

A palavra Homem na letra maiúscula significa mais Humanidade de todos os homens/mulheres.
Vamos chamar Biota ao Pentágono do Homem Físico, o Homem Biológico, o Homem Psicológico, o Homem Social e o Homem Digital que são o cruzamento do desenvolvimento das tecnologias.
steem-new-kind-of-man-pt.jpg
O Biota é baseado biologicamente, imerso em ecossistemas virtuais e envolvido na organização da vida artificial no blockchain do Momem Digital-Máquina .
O Homem Físico com conexões á realidade com as suas posses no mundo material como valor, recursos, dispositivos, registos, e assim por diante.

O Homem Biológico com seus genes e capacidades neurológicas limitadas para sustentar a crescente comunicação do número de pessoas com quem comunicamos on-line e manter seus traços humanos.
A mente do Homem Psicológico terá que ir a muitas mudanças para estar preparado para abraçar a entidade virtual do Homem Digital.
O Homem Social é o universo das nossas relações humanas com outras pessoas no mundo real.

O Homem Digital é diferente do Homem Social que comunica numa conexão "sólida" na realidade daface-a-face e que não se pode desconectar ou apagar a qualquer momento.
O Homem Digitalenvolve-se uma conexão "líquida" que pode ser ligada e desligada a qualquer momento a seu bel-prazer.
O Homem Digital é o vórtice da humanidade em rede para controlar o destino e a propriedade do "Planeta Terra".
Oracles irão conectar o Homem Físico ao Homem Digital usando conexões blockchain e uma API que fornece feeds de dados feitos por agentes inteligentes como pessoas e software (bots) ou por hardware (sensor ou atuador).

A "Blocknet" é o futuro Ecosistema onde o Homem Digital é a conexão com a Humanidade. 5.0

A geração de valor de uso social resultante de toda a criatividade das comunidades no ecossistema descentralizado do Blockchain (cadeia de blocos) é a arma para conquistar o Mundo 5.0 contra o centralismo e o materialismo.
A "Blocknet" transcende os territórios físicos dos países e as regras baseadas em centralização de modelos de Estados que querem legislar o que foi criado para ser desregulado e descentralizado e onde o código é Lei feito pela comunidade com propriedade coletiva e consenso tecnológico e social.

Jeremy Rifkin, em seu livro recente The Zero Marginal Cost Society: A Internet das Coisas, a Comunidade Colaborativa e o Eclipse do Capitalismo, fala sobre a próxima economia partilhada apoiada por capital social, onde os cidadãos em plataformas descentralizadas em criptografia públicas substituirão a propriedade privada pelo direito de acesso.

A Terra Mãe, já cansada e quebrada, está a chorar pelo aumento do movimento de todos os cidadãos da Web e da próxima infra-estrutura de atuação do Homem Digital - a "BlockNet".
O blockchain (cadeia de blocos) pode ser a máquina de pensamento universal como a espinha dorsal das comunidades da Mãe-Terra com a "sala de máquinas" da "Nave Espacial Terra" baseada na partilha do conhecimento humano e inteligência coletiva globalmente.

A nova economia 5.0 baseia-se na captura, armazenamento, análise e transmissão de dados, valores e ativos digitais que representam objetos de vida e a nova linguagem universal digital do Blockchain (cadeia de blocos).

"A linguagem é, no seu núcleo, um sistema que é digital e infinito. Para o meu conhecimento, não há outro sistema biológico com essas propriedades ..." - Noam Chomsky
O blockchain é o desafio dum novo paradigma tecnológico e o conceito de descentralização, e vai mudar a maneira como vemos, trabalhamos e vivemos na economia global, na política, na educação, nos media, na distribuição da riqueza e sustentabilidade dos recursos escassos e finitos da "Nave Espacial Terra".

O Homem Digital será exposto ás novas tecnologias avançadas que podem gerar perturbações maciças nos nossos genes, corpos, psique, vida social e no meio ambiente.
Nós já sabemos que o Homem Digital tem efeitos sobre a estabilidade do Homem Psicológico com repercussões de sentimentos e emoções, como as relações do "Homem Social" podem causar.
O tamanho e o desenvolvimento do Homem Digital estão a tirar muito tempo e envolvimento da esfera do Homem Psicológico e do Homem Social.

Haverá problemas como o dos efeitos já conhecidos do mundo virtual, como todos os tipos de sintomas, compulsões e adições do Homem Digital.
Algumas pessoas estão a sofrer de dependência de dispositivos como telefones e computadores, compulsões como navegação na internet, jogos de azar, bate-papos ou vícios de jogos e de adições cibersexuais como pornografia ou sexo online e relacionamentos cibernéticos online e também hiper-envolvimento nos media sociais.

Outros problemas virão de Estado e Países. A economia institucional está a tentar criar impostos e/ou regulamentos, para proteger e perpetuar os seus interesses especiais.
O mundo do ciberespaço foi criado fora de sua jurisdição e território.
Eles não podem regular ou taxar o que estava enraizado para ser desregulado e descentralizado. As regras descentralizadas são o consenso tecnológico e social.
Eles não entendem que as regras centralizadas não devem se aplicar a este consenso auto-regulado pela comunidade, que foi criado para ser descentralizado como uma alternativa aos sistemas centralizados em decomposição.

Para parar a economia crescente do capitalismo atual que está correlacionado com um declínio da prosperidade social, o blockchain (cadeia de blocos) surge como uma solução para os problemas de custos das transações que são os princípios que regulam os custos e constituição das instituições centralizadas.
A governança, as operações, o planeamento e as comunicações do blockchain reduzirão em grande escala os custos que justificam a necessidade de grandes organizações.
Segundo algumas projeções financeiras o mercado blockchain dentro de cinco anos (2022) valerá cerca de 7.000 milhões de euros.

E para terminar aqui fica um pensamento sobre o Steemit e o problema atual de recompensas associadas a conteúdo sem valor que são geradas por contrato e que, a longo prazo, desvalorizam a plataforma.
"As altas recompensas financeiras em conteúdo sem valor são como o vazio existencial de ganhar um pote de mel que não tem mel".

Artigos meus relacionados em português:
Uma Ode ao blockchain - a Dialética da Libertação

Authors get paid when people like you upvote their post.
If you enjoyed what you read here, create your account today and start earning FREE STEEM!
Sort Order:  

Eu consdiero que a descentralização é de fato um dos maiores bens e também uma das maiores armas de defesa contra aqueles que tentam nos impor algo. Governos não entendem auto-regulação, eles só entendem que eles tem de mandar em tudo e quando perceberem que as pessoas estão se auto-organizando a cerca de temas que a ele interessa, toda a tentativa de bloquear essas iniciativas será feita. Resta saber a efetivivdade que ele terá para resolver esse problema. Quando menos conseguir, mais liberdade para nós!

Exato, a grande luta entre uma Utopia realizável que pode destronar a decadente sociedade centralizada.
A auto-organização é o ponto fundamental para vencê-la. :)
Uma sociedade de economia partilhada, centrada na comunidade, num mercado mais participativo para o desenvolvimento sustentável e para a redução da pobreza.
As comunidades blockchain são os pilares dos os movimentos colaborativos, partilhando a inteligência coletiva para a consciencialização e disseminação da descentralização como portão para uma sociedade aberta e partilhada.

O tema é denso, acho que principalmente a governança da blockchain é que será essa matadora de custos. Temos até uma plataforma voltada para isso que fora criada com foco em governança, a Tezos. Mesmo assim, eles estão sofrendo com embates políticos acerca do produto deles.

Realmente a governança em comunidades do blockchain é um ponto fundamental para a evolução e valorização dessas plataformas.
Existem execelentes teorias mas ainda pouca educação e experimentação prática e a aprendizagem do consenso social.
A Tezos é uma plataforma heróica que irá desafiar o poder instituído, mas que pode vir a ser usada como bode expiatório.
Vou adorar o confronto inevitável entre o centralismo e as comunidades que acreditam na filosofia da descentralização.
Como eu digo neste post
"O mundo do ciberespaço foi criado fora de sua jurisdição e território dos Estados e Governos.
Eles não podem regular ou taxar o que estava enraizado para ser desregulado e descentralizado. As regras descentralizadas são o consenso tecnológico e social."

Resteemed

thanks

Meu caro assunto profundo ao qual eu ainda não consigo opinar. Efectivamente é um mundo novo para o qual eu ainda não tive tempo nem disponibilidade mental para me debruçar com maior profundidade. Proximamente irei ficar com muito tempo disponível (felizmente ou infelizmente) e nessa altura temos que falar para me dares dicas para poder "perceber" melhor esta filosofia. Beijinho e até ao "nosso cafezinho".

Post bastante interessante. Com o Homem digital está a haver novas doenças, infelizmente.

O tamanho e o desenvolvimento do Homem Digital estão a tirar muito tempo e envolvimento da esfera do Homem Psicológico e do Homem Social.

É verdade, por vezes devido à tecnologia esquecemo-nos de quem nos rodeia. Dou um pequeno exemplo, de conversa de amigos em cafés que por vezes dou por mim e vejo todos com o telemóvel na mão sem se falarem uns com os outros (não gosto nada disso).
Obrigado pelo seu post.
Abraço

Também me custa falar com pessoas que estão a comunicar online e offline comigo ao mesmo tempo.
Quem quer estar em 2 lugares ao mesmo tempo não está em nenhum lugar.
Eu não uso telemóvel enquanto falo com pessoas pois passo muitas horas no ciberespaço no computador pessoal.

Biota: vindo da palavra Bioc ou bíos igual a vida que inclui o conjunto de todos os seres vivos de um determinado ambiente ou de um determinado período. este pode até ser transposto para a biota que compõe a biosfera.
Pelo que acho interessante o post e o qual vou ler com muita atenção e fazer a minha interpretação do mesmo.
Obrigada pela postagem.

O Biota é o Homem do Ciberespaço e um desafio á resilência do *Homem Psico-Social

👍👍👍

Muito interessante esta perspetiva! Nunca tinha imaginado o papel do Homem digital em todo este ecossistema!

O Homem Digital está a crescer de uma forma assustadora e as pessoas não podem deixar desaparecer o Homem Psicológico e o Homem Social que são a verdadeira fonte da vida

Pliss vote back

Very nice post.