You are viewing a single comment's thread from:

RE: Humanismo e Existencialismo: Parte 3 - Psicólogos Humanistas - Carl Rogers

in #pt10 months ago

Mais um texto de extrema qualidade @charlie777pt!! Gosto desse caminho que traças, pois conheço pouco a escola americana, e as diversas direções que se fizeram das teorias por lá. A questão da solidão, ainda mais essa acompanhada e não percebida, é uma questão pouco discutida, mas que nos assola imensamente. Causa de muito sofrimento, estou vendo cada vez mais na prática, principalmente com idosos. Jung já trazia que a solidão era perigosa, inicialmente é bom, depois é um poço sem fundo. Sobre Carl Rogers conheço pouco, aprendi bastante no texto, bem interessante essa premissa dele, ainda mais no centro do Behaviorismo positivo que se faz as escolas estadunidenses. Obrigado por compartilhar conosco! Abraços!

Posted using Steeve, an AI-powered Steem interface

Sort:  

Muito obrigado pela dinâmica humana com os comentários sempre de eterma qualidade. heheh
Durante a minha vida resolvi estudar e experimentar todos os caminhos dísponíveis para a auto-libertação.
A minha visão da psicanálise e das psicoterapias que absorvi foram novamente re-organizadas pela descoberta da visão da psicologia humanística, afirmando do Homem como o centro do Mundo, que culminou numa das grandes últimas revoluções de Ronald D. Laing e David Cooper como principais mentores, que obrigam a desestruturar todo o conhecimento que adquirimos e reconstruí-lo num novo eixo.
A anti-psiquiatria fechou o ciclo das minhas dúvidas sobre agir como eu próprio( é como arrancar as sete camadas de pele para ter uma nova), eliminar totalmente o medo dos outros ao afirmar no exterior o que ia no meu interior, e o abandono que qualquer coletivo de intervenção política, para me centrar na "Política do Ser" como o verdadeiro espírito revolucionário no Mundo, que hoje se encontra em todas as visões de pendor individualista.
O conceito de desestruturação total de nós próprios ou mesmo dos outros que pode ser sentido como invasão ou pressão pois abana a segurança ontológica, mas no fim existe a re-estruturação com maiores efeitos catárticos.
Vi e experimentei muitos dos conceitos extermistas (informalmente) por exemplo uma sessão de "psicanálise selvagem" 48 horas a LSD e caixas de uísque para com um amigo genial que estava rotulado como esquizófrenico institucional , resolveu todo um processo analítico que poderia demorar 5 anos, e que meus amigos psicólogos reconheceram que tinha acontecido. (10.000% de risco para 100% de resultado - inconcebível para quem pratica nas instituições).:(
O próprio Cooper arriscou muitas vezes, mas como ainda não tinha resolvido bem os seus próprios problemas pessoais, acabou por se perder, e mesmo em conferências já tinha o seu psiquitra ao lado para poder falar. hehe
Vou parar por aqui antes que assuste muita gente hehe.
Mas sempre fui apologista de experimentar para depois poder criticar teorias, pois todas elas tem sempre pontos de vista novos para aprender, bem como apreender que todas tem as suas falhas
Mais uma vez obrigado amigo.