Maior olimpíada científica do Brasil prorroga inscrições

in pt •  3 months ago 

OBA_ProfJBCanalle.jpg
prof. João Batista Garcia Canalle, coordenador nacional da OBA



O prazo para as inscrições na 22ª edição da OBA - Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica, a maior olimpíada científica do país, bem como para a 13ª MOBFOG - Mostra Brasileira de Foguetes, foi prorrogado até o dia 31 de março, próximo domingo.

A OBA, que organiza a MOBFOG, é coordenada por uma comissão formada por membros da SAB - Astronômica Brasileira e da AEB - Agência Espacial Brasileira. E conta com o apoio do CNPq - Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico e da UNIP - Universidade Paulista.

No regulamento, disponível no site oficial, você pode saber mais detalhes da competição que escolhe os melhores estudantes do nosso país para representarem o Brasil na Olimpíada Internacional de Astronomia e Astrofísica e na Olimpíada Latino-Americana de Astronomia e Astronáutica, ambas no ano que vem. Os participantes desta 22ª edição ainda vão concorrer a vagas na Jornada Espacial que acontece em São José dos Campos, SP, onde recebem material didático e assistem a palestras de especialistas.

Vale lembrar que a OBA é dividida em quatro níveis. Os três primeiros são para alunos do ensino fundamental e o quarto para estudantes do ensino médio. A prova é composta por dez perguntas, sendo sete de astronomia e três de astronáutica. A maioria das questões é de raciocínio lógico, valorizando os estudantes que sabem ler, interpretar e pensar sobre os dados fornecidos. Mas é claro que conhecimentos específicos também são exigidos. Para estudar e aprender, os estudantes podem consultar as provas das 21 edições passadas disponíveis no site com as respectivas resoluções. E tem, também, no mesmo site, vasto material didático disponível para download. Além disso, um aplicativo gratuito que roda em Android e iOS que permite ao estudante realizar simulados da OBA. Não tem como alguém reclamar de falta de material para turbinar os seus estudos!

Escolas públicas e particulares que ainda não participam da OBA devem se cadastrar pelo site www.oba.org.br. Escolas participantes desta olimpíada no ano passado estão automaticamente cadastradas e poderão participar com seus alunos desta divertida e instrutiva competição. Basta baixar a prova na área restrita, usando os dados de login/senha do ano anterior, e depois lançar as notas no site no prazo oficial, como explicado no regulamento.

De acordo com o Dr. João Batista Garcia Canalle, astrônomo da UERJ - Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e coordenador nacional do evento, a OBA pretende “ levar a maior quantidade de informações sobre as ciências espaciais para a sala de aula, despertando o interesse nos jovens”.

Participo da OBA com meus alunos desde as primeiras edições. E recomendo!

Um pouco da história da OBA

Em 22 anos de existência, a OBA já mobilizou cerca de 10 milhões de participantes e distribui anualmente cerca de 50 mil medalhas. A edição de 2018 teve a participação de 770.338 estudantes de 8.456 escolas de todos os estados do Brasil e do Distrito Federal, além de duas do Japão.

Dentre milhões de brasileiros que tiveram a trajetória transformada através da OBA está a jovem Miriam Harumi Koga, 19 anos, de Guarulhos, SP, medalhista da olimpíada em 2016, e a grande destaque na edição de 2017 da Olimpíada Latino-Americana de Astronomia e Astronáutica, conquistando a medalha de ouro, dentre outros prêmios. Tamanho sucesso resultou na sua aprovação para duas universidades nos Estados Unidos, onde hoje reside e trabalha. Além disso tudo, ela ainda idealizou um projeto de apoio à participação feminina na ciência.

“Aos nove anos, tive a oportunidade de participar pela primeira vez da Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica e testar meus conhecimentos na área de astronomia de forma desafiadora. A partir de então, passei a estudar astronomia com frequência, sempre participando da OBA e sonhando em representar o Brasil em alguma competição internacional sobre o assunto. Aprender sobre a física do universo me deixa deslumbrada e, com a medalha de ouro na Olimpíada de Astronomia e Astronáutica, muitas oportunidades se abriram" – revelou Miriam.

MOBFOG

Paralelamente à OBA, neste ano acontecerá a 13ª MOBFOG - Mostra Brasileira de Foguetes. O evento avalia a capacidade dos estudantes de construir e lançar, o mais longe possível, foguetes feitos de garrafa pet, de tubo de papel ou de canudo de refrigerante.

A MOBFOG é voltada para alunos dos ensinos fundamental e médio de escolas públicas e particulares de todas as regiões do país. Jovens que concluíram o ensino médio podem participar, desde que representando a instituição na qual se formaram, com a concordância da mesma ou pela Universidade se já nela estiverem. O evento acontece dentro da própria escola e tem quatro níveis.

O cadastramento de escolas para a MOBFOGé o mesmo da OBA. E o prazo, como já dito anteriormente, foi prorrogado para 31/março. Aproveite!




Abraço do prof. Dulcidio. E Física e Astronomia na veia!





Já publicado no Física na veia!


Este texto também foi publicado no Física na veia! | UOL Ciência neste link.

Authors get paid when people like you upvote their post.
If you enjoyed what you read here, create your account today and start earning FREE STEEM!
Sort Order:  

Como deve ser fantástico poder fazer parte duma experiência dessas aos 9 anitos...
Sucesso para a edição, que todos aprendam, se deslumbrem e se divirtam. :D

ptgram

Posted using Steeve, an AI-powered Steem interface

·

Olimpíadas estudantis são fantásticas @isabelpereira!
Abraço. E Física na veia!

Eu acho que esse tipo de olimpíada deveria ter uma divulgação digna de seu magnitude!

Abraços!

ptgram

Posted using Steeve, an AI-powered Steem interface

·

Tenho certeza de que sim @alexandrecseco!
Neymar, aos 17 anos, já era "celebridade". Estudantes da mesma idade, medalhistas em olimpíadas internacionais, são desconhecidos.
Esta assimetria é muito burra. A continuar assim, levaremos séculos para sermos uma Nação séria.
Abraço. E Física na veia!

Queria muito ter conhecido esse evento quando eu estava na escola, sempre fui fã de astronomia!

Ptgram

Posted using Steeve, an AI-powered Steem interface

·

No meu tempo de escola nem existiam tais competições @thomasmmaker.
Evoluímos!
Mas a valorização real deste tipo de evento pela sociedade ainda é pequena. A caminhada ainda é bastante longa!
Abraço. E Física na veia!

This post was upvoted by SteeveBot!

SteeveBot regularly upvotes stories that are appreciated by the community around Steeve, an AI-powered Steem interface.