Pode haver progresso na filosofia?

in pt •  22 days ago

image.png
O Mito de Sísifo, para quem todo esforço é inútil.


Quando iniciei a graduação em filosofia, eu acreditava que filósofos clássicos, aqueles antigos que vemos nas escolas, eram de alguma forma "superiores" a qualquer filósofo que temos hoje em dia, afinal eles deram as bases pro pensamento filosófico. E ao longo da graduação essa ideia parecia ser reforçada, ao menos nas cadeiras de história da filosofia, vendo pensadores do passado dialogando com profundidade e mesmo em latim e grego me fazia ter a sensação de que eles eram, em alguma medida, sobre-humanos.

Hoje, já formado e estando mais habituado a ler pensadores ainda vivos, e contrastando suas ideias com as ideias dos filósofos clássicos, sinto que abandonei essa visão estereotipada de um Aristóteles inaugurando várias áreas de investigação e de um Leonardo Da Vinci sendo competente em todas as profissões em que se aventurava, como se ser bem sucedido em suas empreitadas fosse o mesmo que "estar terminantemente certo", ter dado seus tópicos por encerrados ou ter suas palavras como as últimas a serem consultadas em caso de dúvida, de tal forma que os filósofos dos dias de hoje apenas estejam criando novas firulas sobre o que já foi consolidado pelos grandes nomes do passado.

O que quero dizer é que estou convencido de que a filosofia, embora repleta de debates intermináveis, e mesmo tendo como marco pensadores históricos que, para muitos pesquisadores especializados em estudá-los, estariam de alguma forma "terminantemente certos"... A filosofia contém sim progressos.

Em outras palavras, não é como se pudéssemos colocar ao mesmo nível de validade as ideias clássicas com as ideias que estão hoje em disputa. Pensamentos clássicos serviram muito pra consolidar a filosofia em seus diferentes campos de estudo, sim, entretanto só é possível qualificar e aprimorar raciocínios quando eles já estão à mesa. Assim sendo, um filósofo atual tem à mão um arsenal muito maior de possibilidades para ser um filósofo ainda mais valioso que um filósofo cuja vida e obra já foram encerradas, e não sobrevivem se não por lembrança ou por reinterpretações.

Aliás, esse apego a filósofos em específico, muitas vezes filósofos cuja morte ocorreu há dois milênios — antes mesmo de livros terem sido inventados com a prensa de Gutenberg — é provavelmente um dos maiores entraves para fazer avançar a filosofia. Trata-se de um costume doutrinário, de filiação ideológica ao pensamento de um filósofo ou escola de pensamento, ignorando todo o resto que, muitas vezes, acaba por refutar pontos essenciais da estrutura epistêmica do raciocínio que acadêmicos de filosofia (e de humanidades em geral) costumam abraçar. É potencialmente o entrave mais ridículo (pois apenas atesta viés cognitivo) e que mais desmerece a ideia de que a filosofia seria esse "amor à sabedoria" que nos direciona à busca irrestrita e apaixonada à verdade — ora, não há qualquer apreço à Verdade quando tudo o que se faz é defender ideias pré-concebidas sem preocupação com o contraditório.

Mas, ainda que a academia brasileira esteja tomada de pessoas preocupadas com a defesa irrestrita de nomes específicos, sou muito otimista quanto ao progresso filosófico, e não me vejo mais cogitando a possibilidade de toda ideia filosófica valer igualmente a pena — ou que as ideias passadas bastam para os desafios presentes e futuros. A discriminação de raciocínios variados, jogando uns contra os outros e os verificando frente aos fatos da realidade que a ciência nos apresenta, me parece ser o norte necessário para que a filosofia continue sustentável e viva nas gerações futuras.

Se a compreensão dos "porquês" contradiz ou não se ajusta aos "comos" das ciências mais sofisticadas que a humanidade até o momento conseguiu consolidar, então que tal compreensão pereça. Não deve ser tarefa da filosofia somar esforços em justificar o injustificável. Sua tarefa deve ser, antes de tudo, aceitar a realidade tal como se apresenta para, daí sim, tentar interpretá-la à luz de nosso melhor juízo.

Authors get paid when people like you upvote their post.
If you enjoyed what you read here, create your account today and start earning FREE STEEM!
Sort Order:  

É importante estudar a filosofia dos antigos, até mesmo porque todo conhecimento humano progride se escorando nos ombros de gigantes, como diria Isaac Newton. Porém não basta apenas conhecer a filosofia dos antigos, deve-se sempre tentar ir além delas e dar um paço à frente a partir dela. Caso contrário deixa de ser filosofia e passa a ser meramente filologia.

·

Thanks for using @edensgarden!

·

De fato temos que partir de uma base, a qual os "gigantes" consolidaram. A questão, depois, passa a ser sobre a produção de novos gigantes, gigantes de nosso tempo.

Congratulations! This post has been upvoted from the communal account, @minnowsupport, by alystoteles from the Minnow Support Project. It's a witness project run by aggroed, ausbitbank, teamsteem, someguy123, neoxian, followbtcnews, and netuoso. The goal is to help Steemit grow by supporting Minnows. Please find us at the Peace, Abundance, and Liberty Network (PALnet) Discord Channel. It's a completely public and open space to all members of the Steemit community who voluntarily choose to be there.

If you would like to delegate to the Minnow Support Project you can do so by clicking on the following links: 50SP, 100SP, 250SP, 500SP, 1000SP, 5000SP.
Be sure to leave at least 50SP undelegated on your account.