#FILMOTECA# - "Rainha de Katwe" (2016)

in #movies3 months ago (edited)

Gospel Mais

Sinopse: Phiona é uma jovem garota que mora, sob condições precárias, com a família em uma favela de Uganda. Um dia, ela decide fazer algo diferente e acaba assistindo a uma aula de xadrez. Ao se interessar pelo jogo mais do que esperava, ela acaba tornando-se uma grande enxadrista.

Muitos filmes envolvendo histórias baseadas em fatos reais tendem a cometer o erro de dramatizar demais uma situação e terminam por cometer o erro de exagerar na dose a ponto de fazer o resultado final ficar super exagerado (no mal sentido), desvalorizando assim, a essência do seu material original... Felizmente, este exemplar surge como um bom exemplo, ilustrando que na grande maioria das vezes: menos pode realmente ser mais.

Veja Rio

Concentrando em abordar todos as problematizações dramáticas da história (apenas para citar alguns exemplos: a pobreza, a falta de perspectiva de crescimento e a invisibilidade social que se traduz em desvalorização enquanto indivíduo que faz parte de um meio) sob o olhar de uma criança pré-adolescente, o roteiro acerta em cheio na questão de criar um forte laço com o público, que sem muitos esforços compra a narrativa após pouco tempo de projeção.

Se fosse contado pela visão de um adulto, provavelmente o filme não teria o mesmo impacto e um dos aspectos que deixa isso claro é o fato da jovem protagonista sempre encarar os seus problemas - e os de sua família - com um olhar que na maioria das cenas é muito ingênuo. Apesar dela ter consciência que vive em péssimas condições, ela mantém sempre mantém a esperança de que tudo irá melhorar e encontra no Xadrez, uma válvula de escape para isso.

iG Gente

O inesperado (e inusitado, ao menos para ela) esporte torna-se à sua bóia de salvação para sair daquela difícil situação diária e quanto mais ela descobre o quanto é boa, mais conhecimento ela deseja adquirir e planeja voar cada vez mais alto. Isso acontece quando ela é incentivada pelo seu treinador, mas para chegar lá, ela tem muitos obstáculos pela frente... Inclusive, a falta de confiança em si mesma (que sempre tende a piorar quando os problemas da família começam a querer falar mais alto).

Em seu desenvolvimento, o roteiro não demora muito para se estabelecer e consegue ir direto ao ponto. No entanto, em alguns momentos ele tende a apelar para situações previsíveis e isso desfoca um pouco o caminho da narrativa. Em meio a arcos paralelos, a história sofre algumas falhas por se desconcentrar do Xadrez como elemento central, tratando-o apenas como coadjuvante. O lado bom é que o roteiro percebe o erro e volta para os trilhos sem perder muito da sua qualidade.

Papo de Cinema

Toda a trajetória mostrada no filme é muito bonita, trás muita verdade, transborda inspiração e ainda que seja tudo muito didática (às vezes tudo é explicado em excesso e não há necessidade para isso) o bom elenco garante que isso aconteça (Madina Nalwanga, Lupita Nyong'o e David Oyelowo foram uma trinca talentosa), porque os personagens são convincentes, bem desenvolvidos - na medida do possível - e as suas atuações fazem jus a história que está sendo contada.

A parte técnica que ajuda a ambientar os acontecimentos valem alguns elogios. Dentre elas, eu destaco uma fotografia bem realista (porque realmente existe uma dimensão sobre o local onde todas as cenas acontecem... principalmente as de plano aberto, em locais externos), a trilha sonora quase poética (que até pode soar um pouco clichê, mas é muito interessante e inserida nos momentos corretos) e uma edição de arte muito coerente com os fatos.

Mira Nair é a diretora e ela deposita toda à energia do seu trabalho apostando em uma abordagem simples, mas muito significativa porque tenta mostrar ao público uma perspectiva diferenciada dos fatos que normalmente seriam demonstrados com mais rispidez, mais rigidez e provavelmente, como algo mais pesado. Isso não quer dizer que a escolha dela seja fazer do filme algo sempre "leve", mas sim, tentar humanizar os problemas mencionados utilizando o xadrez como elemento central e também, como elemento fundamental de transformação.

Visalia Times-Delta

Rainha de Katwe é um filme envolvente, reflexivo, emocionante e que tenta enfatizar algo em particular: uma força adormecida pode sempre existir dentro de um ser humano quando um propósito de vida é encontrado - ainda que seja de forma acidental - e que lutar para transformá-lo em uma nova realidade é apenas uma questão de força de vontade. Encontre à sua, faça acontecer e seja feliz.


LINK DO FILME:
https://www.themoviedb.org/movie/317557-queen-of-katwe?language=pt-BR

MINHA NOTA: AAA (9,0/10)

Sort:  

dblog logo w white background.jpg
This post is upvoted by @dblog.supporter.
Visit https://dblog.io now! This is a tribe for all bloggers on Steem blockchain.